25 setembro, 2016

Dos Yuppies aos Novos Bimbos Urbanos e a forma em como constrói a moda


Yuppie" é uma derivação da sigla "YUP", expressão inglesa que significa "Young Urban Profissional", ou seja, Jovem Bimbo Urbano.


Era usado, na década de 80, para referir-se a jovens profissionais entre os 20 e os 40 anos de idade, geralmente de situação financeira intermediária entre a classe média e a classe alta. Os yuppies em geral possuíam formação universitária, trabalhavam em profissões anunciadas como de futuro, bem qualificadas e seguiam as últimas tendências da moda de então.
Mas como toda a moda muda, agora entrou-se noutra:

os Novos Bimbos Urbanos. 

E como a moda não nasce de geração espontânea, a Goldman Sachs, as redes sociais e as televisões nacionais, bem servidas pelas novas tecnologias, vieram a impor outros comportamentos e aí estão os NBU.
Para conhecer estes novos bimbos pode ler (aqui) todas as modas, umas adoptadas outras impostas

Desse texto, destaco a moda mais generalizada e de certo modo herança dos yuppies. Escreve assim o autor:
Para o fim, a moda mais parva de todas. A moda das empresas que acham que ter trabalho de borla é bom. Aquelas empresas que contratam estagiários e que já sabem que não vão ficar com eles. Que sabem que eles vão dar o máximo e trazer ideias frescas para a empresa, mas que são dispensáveis a partir do momento em que tenham que lhes dar ordenado.
"Procura-se colaborador, recém-licenciado, que saiba falar cinco línguas, saiba fazer mortais encarpados à rectaguarda, saiba cozinhar comida asiática e mediterrânica, tirar cafés, com conhecimentos sólidos das ferramentas office e grande capacidade de sacrifício, de lidar com o stress e que tenha um espírito de equipa fantástico, para se juntar à nossa, já fantástica, equipa. Oportunidade imperdível para aprender e crescer profissionalmente. Salário fixo de 0€. Não é negociável."

24 setembro, 2016

Surpresas de Outono

Foto de Benvinda Neves
A surpresa veio da Teresa. Ela jura que fui eu quem escreveu isto, num comentário por mim deixado, em Setembro de 2010. Surpreendido, agradeci por ela me ter lembrado ter sido eu a produzir tal escrito. Este:
Que seria de nós sem o Outono? 

Pergunto-me em inquietas especulações 
Coitado do Vivaldi
Reduzido a 3 estações
Coitadas das árvores
onde meteriam elas 
as suas folhas amarelas?
Coitados dos poetas e pintores
privados da melancolia
do cinzento e de outras cores
Coitado de mim
sem uma estação assim.
Rogério Pereira

23 setembro, 2016

Se fosse professor, nunca o seria por paixão...

Está agendada a sessão. Vamos ver quem, da comunidade educativa, aparece. E desses, quantos terão um verdadeiro amor à Escola. Sim, amor. É que, se eu fosse professor, nunca o seria por paixão. A paixão passa, o amor não.
Depois conto!

21 setembro, 2016

Há famílias assim, onde o "conselho de família" é virtual e compromete o jantar

 

Distracção ao jantar 
O avô anda entretido sabe lá Deus com o quê
Sabe lá Deus com que se entretém
a avó e a mãe
O namorado
com a namorada ao lado
adiciona mais uma amiga
e põe-lhe um "gosto" de seguida

A mais  nova manda um sms à tia
"Que merda é esta!? Eu já comia!"

Chamam o empregado
e este anuncia com voz sentida
"já passou o prazo
está arrumada a cozinha" 
 Outras distracções