01 abril, 2010

Causas possíveis de suicídio


Quando se reunem condições, há canções que narram o desfecho. Se é imaginativo(a) não faça os exercicios que abaixo proponho. Pode acontecer a canção...

Como as pessoas não são números proponho-lhe um exercício: Imagine as pessoas, seus comportamentos na empresa, na vida social e familiar, níveis de educação e felicidade, aspirações, etc.

Imagine tudo isso na consideração de que estão pessoas, como você, envolvidas na base dos seguintes dados estatísticos:
- As actividades ilícitas atingem 22% da produção da riqueza nacional;
- 63% Das pessoas são tolerantes com a corrupção
- …coerentemente, a grande maioria das pessoas, votam nos partidos que nos tem governado até hoje e que ontem fizeram passar o PEC depois de ter feito passar o orçamento.
Consegue imaginar? Então vamos continuar o exercício: Imagine-se agora, professor pessoa responsável que conhece a realidade e não contribuí para ela (nem sequer vota). Na sua escola, você tem:
- Nos órgãos de gestão, 5% dos seus colegas são familiares de traficantes de qualquer coisa, 65% deles concordam com a boa obra do Isaltino e todos, mesmo todos sem excepção, discutem as diferenças e semelhanças entre o Sócrates e o Pedro Passos Coelho, enquanto a reunião de avaliação não começa.
- Entre os seus pares, observa-se quase a mesma representação e iguais comportamentos.
- Na sua turma, os putos, são o espelho disso tudo, com a agravante de metade deles não terem o mínimo de pachorra para lhe dar atenção.
Conseguiu imaginar o que é a sua vida fora e dentro da escola? Não foi preciso imaginar? É professor? Mas dos quais?