09 abril, 2010

Hoje há resultados da minha sondagem

Passou mais de um mês sobre a publicação da minha última sondagem que, se bem se lembram, foi no dia 4 de Fevereiro. Desde então muito se passou sem que nada se tivesse alterado. Sócrates continua a levar porrada que se diz oriunda daqueles mesmos lados que lhe facilitam a passagem primeiro do orçamento e depois do PEC. O PSD fez eleger um novo líder, o qual foi muito aclamado enquanto era comparado em múltiplos aspectos ao mais maltratado Sócrates. Vários acontecimentos foram acontecendo sem que a maioria dos portugueses perceba que esteja a acontecer, de facto, qualquer coisa. Progredindo assim, a opinião pública carece que se disponibilize mais uma das minhas sondagens. A sondagem incluiu duas perguntas apenas. Como encara o futuro e qual o acontecimento recente que mais o preocupa.
O gráfico abaixo mostra expressivamente o estado de espírito dominante como resposta à primeira questão, por parte da maioria das classes inquiridas. A excepção situa-se na classe C1 que anda às voltas com a leitura dos últimos semanários a ver que consegue entender o que se está a passar:

Imagens do estado de espírito de cada classe face à actual situação

Quanto à segunda questão: Qual o acontecimento recente que mais o preocupa? Levei com todos os estilhaços de ter feito uma pergunta aberta. Vejamos os resultados e a sua análise:

  1. A classe A, cerca de 5,5%, isto é, todos, afirmam que não há nada que os rale, que o sistema democrático está a funcionar e as instituições também…
  2. A classe B, 11,9 %, isto é, também todos, afirmam que até à eleição de Pedro Passos Coelho a sua grande preocupação era a falta de uma oposição credível a Sócrates. Agora estão na maior e no restante pronunciaram-se na mesma linha da classe A…
  3. A classe C1, 24,9% de mortais, encontra-se dividida. Metade não conseguiu dar qualquer resposta e afirma, unanimemente, que ainda não percebeu o que lhe vai acontecer com a implementação PEC, estando ainda a ler as medidas aí contidas. A outra metade alinha pelo optimismo da classe B, acrescentado que o PEC não vai ser cumprido porque o PSD não vai deixar…
  4. As classes C2 e D, que somadas dão 57,7% da malta toda, criaram-me problemas de tratamento dos dados que não consegui ultrapassar: Listei 724 acontecimentos recentes que os preocupa. Grande parte desses problemas nem sequer aparecem nos semanários que a classe C1 anda lendo. Como síntese poderei resumir: “Isto tudo está uma valente merda” e enquanto a classe C2 se limita a mostrar o desânimo por ser essa a situação a D está visivelmente zangada. Ainda bem que esta está em evidente minoria.

    Ficha Técnica: Foram inquiridos 9 milhões de portugueses, via telemóvel. Os desempregados viram as suas respostas anuladas para não dar um tom demasiado pessimista aos resultados globais. Foi aplicada uma metodologia assente nos critérios usados pela Marketest no que se refere ao dimensionamento das classes sociais. A análise de resultados segue metodologia própria que designada por Marketestista. Não tem nada de marxista embora, em sonância, o faça lembrar, apesar de fazer arranhar muito mais o aparelho auditivo.