13 setembro, 2010

Proclamação

Panorâmica da mesa e da assistência à sessão, onde a importante proclamação
"Apelo à Participação Cívica", foi apresentada

PROCLAMAÇÃO

Caros seguidores, visitantes comentadores ou apenas passeantes, anónimos furtivos, homens, mulheres, poetas e loucos...

Caros Amigos,

Para fazer o que ainda não foi feito, sei como ainda somos poucos.

Somos poucos para reiniciar a jornada. Mas, como sempre acontece, outros se juntarão. Ninguém está impedido de retomar caminhos percorridos ajustando o percurso, corrigindo palavras e emoções, procurando convergências. O passado não se corrige, dirão. Façamos então a correcção do futuro, não repetindo erros do passado. Somos poucos para operar o milagre de fazer tudo regressar à pureza da madrugada que nos deu esperança. Mais que proclamação é um apelo: Façamos da próxima eleição a primeira. Cada um escolha a melhor forma, mas sugiro uma: renasçam, com a memória completa e com o equilíbrio requerido a quem tem nas mãos um pequeno poder. Usem-no!

Eu, por mim, vou ser coerente com aquilo que me fez estar aqui. Prometo não sair dos objectivos que tracei e respeitarei os princípios declarados. Estes:

  1. Não entrarei no jogo político, por isso, não comentarei discursos ou posições de qualquer partido ou candidato;
  2. Trarei para a minha agenda discursos ou posições partidárias sempre que a imprensa deles faça omissão ou distorção;
  3. Denunciarei todas as notícias ou opiniões que, em meu juízo, colocam em causa a reputação e o bom nome das pessoas sem a devida prova e fundamentação do interesse público;
  4. Trarei para o meu blog todos os temas que julgo serem omitidos por razões que a razão desconhece ou me parecerem arredados da agenda das redacções da imprensa semanal;
  5. Tentarei suprir a ausência da actividade da ERC na análise a estes jornais.
  6. Em datas festivas, ou sempre que me dê na real gana, publicarei poemas, vídeos e outras e outras cenas, desde que se integrem no espírito da minha declaração de princípios.

Serei assim um apoio à vossa obrigação cívica através do acto de cidadania que assumi em 31 de Dezembro de 2009. Não, não julguem que me remeto para uma posição de equidestância e de isenção. Tenho convicções, apoio um candidato e não procuro isenção. Defendo soluções pelos valores de esquerda e são esses valores que pautarão esta intervenção a que me proponho.

Faço esta proclamação nas instalações apropriadas e com alguma simbologia: Que Cavaco Silva não chame a estas eleições um figo. Um Figo Maduro!

Obrigado pela V. atenção

(aqui não é possível retransmitir a tremenda ovação ao orador, que ainda dura de forma entusiástica, à hora da publicação deste post)

21 comentários:

  1. OLá amigo
    Passei para lhe desejar uma semana cheia de realizações.
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  2. Rogério, a grandessíssima chatice, para não utilizar uma terminologia mais vernácula, é que Cavaco vai mesmo chamar-lhe um figo, ou dois! Nem com o seu candidato nem com o meu lá vamos. E sabe porquê? Porque por razões que a a razão desconhece o Rogério tem um candidato e eu tenho outro e isto é que é uma grande chatice.
    Confuso? Acho que não :))
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Amigo Rogério!

    Fiquei curiosa, por isso aqui estou!

    Ouvi claramente e bato palmas de pé!

    Espero bem que o Cavaco caia como um Figo demasiado Maduro e se esborrache todo.
    Eu sou por que já deu provas que é NOBRE e que ainda é meu homónimo.

    Estás lindo lá no palanque!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Wanderlei, que bom seria ter o seu envolvimento nesta minha missão. Meterei eu meu bedelho na vossa eleição... O que se passa no Brasil, a mim, serve-me de lição!

    Boa semana tb

    ResponderEliminar
  5. Cara Ariel,
    Entenda o meu papel...
    ... e também o meu apelo: Somos poucos para operar o milagre de fazer tudo regressar à pureza da madrugada que nos deu esperança. Mais que proclamação é um apelo: Façamos da próxima eleição a primeira...

    Falei em milagres. Acho que eles podem acontecer. Os impossíveis é que não. Deixe-me agora responder à Fernanda, que veio aumentar a confusão...

    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Fernanda,

    Não a sabia ser dessa Nobreza... Pela minha missão e principios não vou, aqui, apoiar nenhum candidato. A minha tarefa será conter a informação golpista, as distorções e omissões das agencias e jornalistas, que terão nesta eleição uma agenda própria e seguramente favorável a Cavaco...

    Esperemos, entretanto, para que um milagre se dê e os caminhos da esquerda se encontrem...

    Beijão

    ResponderEliminar
  7. Ai em Portugal também estão em processo de eleições?
    e pelo que vejo nos blogs amigos, o panorama não é muito feliz.

    Então te convido a tomar um copo de guaraná, rs, para ver se esse processo desce um pouco menos amargo pela garganta.

    Não sei se em Portugal é a mesma coisa que no Brasil. Lá, a política e suas questões sempre acabam em pizza (ou seja, faz-se o que quiser, que não dá em nada, não há resultado algum, como se fosse uma grande festa barulhenta em uma pizzaria, rs, fornada atrás de fornada, todo mundo come e ninguém nem ai para o mundo).

    Que venha 2012, porque do jeito que vai rs.

    bom dia!

    ResponderEliminar
  8. Boa "malha" caro Rogério

    Pode contar com a minha modesta cooperação.
    Abraço

    ResponderEliminar
  9. Caminho pelo lado esquerdo da vida, desde que um dia fui apresentado a mim próprio. Assim continuo e continuarei.
    Com o meu voto defenderei nas próximas eleições (como o fiz em todas as anteriores) soluções que passem pelos valores da Esquerda.
    Sou plebeu, tenho o meu candidato sustido pela convicção da minha escolha agarrada à esperança de que os caminhos da Esquerda se vão encontrar. Não por milagre, coisa em que não acredito,mas por crer que nas presidenciais os portugueses não irão a elas de olhos vendados.
    Por mim Cavaco olhará para a figueira de longe...
    Um abraço

    ResponderEliminar
  10. Alexandre,
    Hei-de falar das suas eleições
    Convosco comendo pizza
    e nós vossos feijões
    (um dos meus pratos favoritos é feijoada à brasileira)

    ResponderEliminar
  11. Força Folha Seca

    Até hoje só contei com os "Dez anoezinhos da tia Verde Água" que me dão uma ajuda preciosa...

    ResponderEliminar
  12. Carlos Albuquerque,

    Também por mim Cavaco olhará para a figueira de longe...

    Quanto a milagres
    Nunca tal aconteceu
    não os espero,
    e os de casa
    por norma faço-os eu

    ResponderEliminar
  13. Mas que travesso me saíu lol

    Isto de haver tantos candidatos é que nos vai tramar a todos, mais uma vez, por falta de união de quem devia ser unido, ainda levamos com o figo cavaco nas trombas. Tenho dito e depois não digam que não avisei ;)))

    Bjos

    ResponderEliminar
  14. Podemos ser poucos, mas somos bons!
    Conte comigo, pois alinho nesta jornada.
    Figos, comi bastantes nestas férias, logo, já estou bem...preparada ;-)
    A foto é digna de um candidato!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Os milagres são fáceis de explicar

    mas cumpri-los

    só em desejos e muita fé

    mesmo assim não acredito em independentes

    ResponderEliminar
  16. Gostei da proclamação.
    Li-a com atenção.
    Perante a baralhação
    Sei que numsuportucavaco.

    :)))

    ResponderEliminar
  17. Então Isa

    Julgava ter o exclusivo das travessuras?

    Talvez tanto quanto impedir a eleição de Cavaco
    é necessári contruir a união, de facto...

    ResponderEliminar
  18. Fê,

    Milagres é connosco, né?

    Meu Pássaro Azul, que o entusiamo não te cegue e te perturbe a visão
    Aquilo não é uma fotografia
    é uma criativa falsificação...

    ResponderEliminar
  19. Puma,

    Claro!
    Independentes...
    independentes está mesmo a dizer:
    in+dependentes!
    Se "in", significa dentro...
    Quem do lado de dentro se pode intitular isso?

    ResponderEliminar
  20. MdSol,
    Escusa de dizer que leu
    Eu vi-a lá, ouviu e aplaudiu
    Foi isso que aconteceu...
    (esta mania de quererem manter a clandestinidade...)

    ResponderEliminar
  21. Amigo Rogério!

    Entendo que não possa quebar as suas próprias regras...mas eu não tenho problemas dessa ordem.

    Se fala de candidatos, eu falo do meu candidato, Fernando Nobre.

    Digo-lhe mais, nunca, repito, nunca votei em ninguém que tenha estado no poder.
    Não tenho esperança de ver um dia o meu partido no poder, mas os seus representantes eleitos fazem-se ouvir e incomodam muita gente.
    Os meus votos nunca são em vão.
    Assim o vejo e sinto.

    Abraço

    ResponderEliminar