16 novembro, 2010

Saramago: Cadeia de leitura em 83 cidades assinala, hoje, o 88.º aniversário de nascimento do escritor

Uma cadeia de leitura assinala, hoje, o 88.º aniversário de nascimento de José Saramago, numa homenagem do Instituto Camões ao "grande génio" e Nobel da Literatura que morreu a 18 de Junho de 2010.
Oitenta e três é o total das iniciativas a promover pelo Instituto Camões em 26 cidades dos quatro continentes: África, América, Europa e Ásia, segundo o programa a que a Lusa teve acesso.(ver noticia aqui)
A ariel, no seu blogue "cirandando", dá noticia de outras iniciativas, nomeadamente a inauguração na Biblioteca Municipal Palácio Galveias da sala José Saramago e reproduz dois vídeos a não perder.
Também a Teresa, do "ematejoca azul", não esqueceu esta data, dando destaque carinhoso ao significado que Saramago atribuía àquela biblioteca municipal, juntando também um vídeo repleto de afecto
________________________________________
Já depois de ter editado o texto acima, outros amigos escolheram o dia para trazer também o tema. Acrescento-os aqui, para memória documental e dos afectos:

13 comentários:

  1. Confesso que não me lembrava da data.

    Bjos

    ResponderEliminar
  2. Rogério
    Encontrei no "Cirandando" uma expressão que diz tudo. "A melhor homenagem que lhe podemos fazer é ler e reler os seus livros". Eu acrecento: E tentar perceber o que Saramago nos foi dizendo.
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Continuo a árdua tarefa de tentar perceber a obra de Saramago.

    Espero que este acordar me traga mais conhecimento e capacidade de entender a mensagem transmitida.

    "Olhar a poente..."

    ResponderEliminar
  4. Meu amigo:
    Também deixo no meu blogue a minha homenagem a Saramago.
    Mostro o seu lado romântico e o meu gosto pelo cinema.

    "Se eu tivesse morrido antes de te conhecer, Pilar, teria morrido sentindo-me muito mais velho. Aos 64 anos, a minha segunda vida começou. Não posso queixar-me."
    José Saramago

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Caro Rogério
    Saramago estará sempre presente nas nossas memórias, por uma ou outra razão, até por frases ditas por ele que se enquadram muito bem presentemente.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Saramago é uma caixinha de tesouros.

    Descobrimo-los em cada leitura. E ficamos-lhe sempre agradecidos por ter existido.

    Beijo

    ResponderEliminar
  7. Repito o comentário deixado em casa de outros amigos:
    Foi grande demais para o país em que nasceu. Por isso o Mundo não esteve com cerimónias - abriu-se-lhe.
    Se ainda estivesse com ele, como da última vez que nos vimos, e lhe desse um abraço, ver-lhe-ia, por certo, uma lágrima.
    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Meus caros, hesitei em falar mais uma vez de Saramago, entre homilias. Não pude deixar de o fazer depois de saber que em 88 cidades por todo o mundo, se estarão a fazer ouvir palavras suas. Muitos as ouvirão pela primeira vez...

    ... e o Carlos Albuquerque sempre a fazer-me inveja por ter privado com ele. Acho que se tivesse tido esse ensejo teria mais reforçada a alma com que vos escrevo!

    ResponderEliminar
  9. Rogério, tinha deixado aqui um comentário com os meus agradecimentos pelo link. perdeu-se com certeza nesse enorme espaço cibernético....

    :)))


    Abraço

    ResponderEliminar
  10. Comento depois, meu amigo, para já os meus agradecimentos pelo link.

    http://ematejoca.blogspot.com/2010/11/die-wissenden-augen-portugals-jose.html

    Se quiser, eu traduzo!

    ResponderEliminar
  11. Caro Rogério
    Voltei só para agradecer o link.
    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Homenagearemos hoje e sempre esse grande e exraordinario escritor Poruguês.
    Até agora o unico Luso comemplado com o Nóbel da Literaura.
    Manuel Aldeias

    ResponderEliminar