12 dezembro, 2011

CELAC impede CPLPC como Plano C?

Se a História da Humanidade fosse uma mulher, ela não teria idade, seria bela e seria irónica para toda a eternidade. Hoje mesmo iria colocar-nos o ridículo de termos combatido o iberismo por receios de perda de soberania com Espanha para, imprudentemente, o estarmos fazendo com a Alemanha, numa Europa que, segundo notícias de agora, se afunda. A História, desdenharia de não ter a família real, em tempo ido, ter permanecido no Brasil e ter continuado o Rio de Janeiro a ser a capital do Império falante em português. A História riria também do iberismo não ter sido a aposta de Filipe II, pois se este o tivesse sido com visão, teria localizado em Lisboa a sua coroa e transferido, para esta porta da Europa, a capital do seu reino. Não sendo um iberista convicto não posso deixar de sofrer a influência desse lado de Saramago mas também de muitos outros, políticos e escritores. Quem, dos que agora por aqui se inquietam e apertam, discorda de Miguel Torga?: «O meu iberismo é um sonho platónico de harmonia peninsular de nações. Todas irmãs e todas independentes.»  

Falar em iberismo é regressar à falada "jangada", (convertida em meio de salvação) mas agora por esta outra forma: CPLPC. Capicua de letras só pode trazer é sorte... O  que significa? Comunidade dos Países de Línguas Portuguesa e Castelhana.  Do outro lado, o assunto está praticamente arrumado, com a recente fundação da CELAC, que foi festejada assim:

La Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (Celac) nacerá oficialmente hoy en la sesión final de la Cumbre de jefes de Estado y Gobierno de la región, reunidos desde ayer en esta capital (Caracas) con ese propósito. (3 de Dezembro e fora dos destaques dos média nacionais)

Será também assim que o Plano C será festejado, lá no outro lado...
.
Este post foi-me inspirado pela amiga Ana Tapadas, do blogue Rara Avis

16 comentários:

  1. O que nos falta a Europa e a Portugal e Tomar uma decisao boa ou ma.

    Bjinhos
    Paula

    ResponderEliminar
  2. ola. estive aqui dando uma espiada. muito legal e interessante. apareça por la. abraços.

    ResponderEliminar
  3. A Europa anda em desvario e nós à deriva...

    Boa semana

    ResponderEliminar
  4. Por supuesto!
    Também gostaria de ver Madrid 'entalado' entre Lisboa e Barcelona.

    ResponderEliminar
  5. O Rogério não sabia que estão a fazer blocos para a NOM? Pode dizer adeus ao plano C. O que os cidadãos querem não conta para a decisão de quem está no poder...
    Uma excelente e clarificadora reportagem... e vai em "espanholito", da vez que não encontrei com legendas. http://vimeo.com/33183830

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  6. Um dia poderás ser terra queimada
    E eu uma semente germinada…

    ResponderEliminar
  7. Meu amigo,os planos já estão decididos e a História da Humanidade infelizmente não pode ser modificada.
    A mulher da História Actual é gorda e feia e está a rir-se de nós.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  8. A bola de pêlo dará o seu consentimento para a execução do Plano C?

    ResponderEliminar
  9. Que tal ler 1808 e 1822 de Laurentino Gomes, talvez, eu disse talvez explique alguma coisas sobre nossas relações históricas, são no mínimo informações interessantes. O passado, a história, o problema é o futuro!!!!! presente confuso, muito confuso!!!!Abraços

    ResponderEliminar
  10. Caro Rogério
    Lembro-me que quando Saramago disse o que trancreve, algumas "proeminências" manifestaram-se chocadas. Não passou muito tempo e começamos todos a perceber que foram ditas por um visionário.
    Embora não pareça tenho acompanhado com muito interesse o seu plano "B". e em geral concordo. Mas nada se constrói sem as "ferramentes" certas. Claro que antes de mais há que projectar e só depois meter mãos à obra.
    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Sou completamente iberista, sempre fui, teria sido bom para a peninsula. Não será por acaso que ao longo da História a grande potência que foi a Inglaterra tudo fez para minar ese designio...

    ResponderEliminar
  12. amigo, uma reflexão fantástica e difícil...
    o que acontecerá com a Europa? E caírá pelo menos um pedaço do grande muro à separar Espanha e Portugal?

    Aqui no Japão o medo é enorme (com a situação local) pois tb a dívida púbica explodiu ,ainda mais com o terremoto). os problemas econômicos aqui também não mudam, a falta de perspectivas e até de esperanças.

    que situação... é triste.
    torço mto por Portugal, país que tenho no coração.

    grande abraço

    ResponderEliminar
  13. A "Jangada de Pedra" e a Sé da Guarda.E isto a propósito de uma partição da P.Ibérica, colorida, apresentada em mapa.
    Já lá vão uns anos. Saído por Vilar Formoso, rumei a norte, a Léon, perto da qual,uns poucos de quilómetros, encontrei San Juan de las Dueñas (com um grupo escultórico,passado a papel químico do Pátio das Leoas, em lamentável estado de conservação, num cruzamento de estradas secundaríssimas) onde havia um antigo convento. Não era monumento e perante o meu propósito de visitá-lo a irmã que me atendeu respondeu em Leonês que ali só entravam mulheres.Tudo dito.Mas transmiti-lhe a agradável surpresa da proximidade com o Português.Eu só conhecia o Leonês de textos escritos e, ainda por cima, medievais.Retomada a estrada principal encontrei tabuletas oficiais com a designação "Castilla/Léon".Todas elas tinham sido riscadas e acrescentadas com a expressão "Léon solo!".Alcançada Ávila e tomada a estrada Madrid/Lisboa, entrei na Guarda.Na Sé reparei numa das gárgulas de escoamento de águas.Na parte voltada na direção de Castela:não uma carranca mas um cu.Limpinho e de pedra, mas um cu...
    Abraço,Rogério!

    ResponderEliminar
  14. Sou frontalmente contra

    a extinção das freguesias
    em espaço rural

    ResponderEliminar
  15. Antes de tudo obrigada pela referência.
    Este post levanta um problema/solução premente, mas as cabeças europeias pouco pensam...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  16. SulAmérica, meu caro! não LatinoAmerica...

    abraços

    ResponderEliminar