24 abril, 2012

Desculpa, não é minha a culpa...


Tens razão
Desculpa
Desculpa
Desculpa
Tem paciência
por esta longa ausência,
embora não seja minha
a culpa
É este miúdo aqui ao lado,
pedindo pão
É esta sofrida canção
É aquele vizinho,
que o perdeu o emprego
e mo diz em segredo
É esta, outra mulher,
que está chorando
porque é reduzida
a renda que lhe vão pagando
É aquela flor que perdeu a cor
É a ave que se perdeu da árvore
É o sol que se esconde sabe lá Deus onde
É a Primavera
que se enganou na data de regressar
e demora a chegar
É a lama, cheia de gente
que nela entrou de repente
É o senhor de pasta e gravata
que arrota e quer mais
Não sei para me onde virar
tenho muito que fazer
para meu cravo defender...

Tens razão
Desculpa
Desculpa
Desculpa,
embora não seja minha
a culpa 
Deixado num comentário à Gisa  (revisto)