08 julho, 2012

Homilias dominicais (citando Saramago) - 91

Estive tentado a falar do valor real dos licenciados e do canudo, não para redobrar enxovalhos aos enxovalhados, mas para reflectir na pacóvia crença de que quem não tem titulo académico não merece ser escutado com o devido cuidado, ou por se julgar não ter coisas a dizer. Desisti, por apelo a que se fale de coisas urgentes, mais prementes. Por diversidade de assuntos, escolhi o valor da coerência politica. As duas dimensões dela: a nossa e a de outros. Compreendendo isto, que é básico, estamos em condições de fazer opções. Opções de esquerda, pois a esta ainda resta um caminho para, morta que está, ressuscitar. É que, contrariamente ao que acontece com os corpos, as ideias têm essa capacidade de voltar a ter vida... 

HOMILIA DE HOJE

"A direita nunca deixou de ser direita, mas a esquerda deixou de ser esquerda. A explicação pode parecer simplista, mas é a única que contempla todos os aspectos da questão. Para serem participantes mais ou menos tolerados nos jogos do poder, os partidos de esquerda correram todos para o centro, onde, infalivelmente, se encontraram com uma direita política e económica já instalada que não tinha necessidade de se camuflar de centro. Entrou-se, então, na farsa carnavalesca de denominações caricaturais com as de centro-esquerda ou centro-direita. Assim está Portugal, a Itália, a Europa."
José Saramago, in 'La Republica (2007)'