12 setembro, 2012

Tal como esperado, foi chumbada a moção de censura (...) A iniciativa, votada no final de um debate dominado pela discussão sobre a possibilidade de mais medidas de austeridade, caiu com os votos contra da maioria PSD/CDS-PP. PCP, Bloco de Esquerda e Os Verdes votaram a favor. O PS absteve-se. (25 de Junho de 2012)

Diz-se que há desaguisados entre eles, e que há um coro de vozes....  
Nem os cito. Apenas observo que as reacções, salvo muito isoladas mas honrosas excepções, são quanto ao desatino do ritmo acelerado com que as medidas se sucedem. Alguns se comprazeriam em ardemos num fogo mais lento e tenho dúvidas se não repetiriam anteriores comportamentos (aludidos neste título)
--
Escreve, hoje, no DN um daqueles comentadores encartados pelo "reputado" jornal: "A escritora dinamarquesa Karen Blixen dizia que os seres humanos são capazes de suportar todos os sofrimentos desde que eles façam sentido". Sendo que a maior critica à renegociação da dívida é que ela arrastaria pesados sacrifícios,  faltou ao opinador dizer se tal faz ou não sentido...
--
Um amigo citava ontem Victor Hugo: "Entre um governo que faz o mal e o povo que o consente, há uma cumplicidade vergonhosa." O povo acabará por concordar com tais palavras e tomará a atitude que dele se espera...