13 fevereiro, 2013

"Caritas in Veritate" - O papa escreveu um texto inapropriado como o meu... dizem que foi pelo corpo que ele foi vencido... eu acho que foi pelo seu escrito

Era um papa de aspecto severo, que escreveu (pelo menos) um texto inapropriado. Coitado
 
Quando era moço fazia coisas inusitadas, tais como ir ao tribunal da Boa Hora assistir à argumentação de noviços advogados a defender, na barra, vendedoras não licenciadas e outros crimes de fraca moldura penal. Entrava em igrejas, não para assistir à missa mas apenas à homilia para ouvir e ficar a pensar no que o padre dizia. Depois elaborava várias correlações. Entre a moral cristã e a justiça. Entre os advogados e os prelados, estas para entender a capacidade de a oratória ser capas de ir buscar a um texto o que lhes desse mais jeito. Eram tempos de fascismo e a interpretação mais rara era a justa... Tudo isto a propósito da carta encíclica que tramou o Papa. Estou-a estudando depois de lhe dar uma leitura rápida. Logo na introdução:
"...cada sociedade elabora um sistema próprio de justiça. A caridade supera a justiça, porque amar é dar, oferecer ao outro do que é «meu»; mas nunca existe sem a justiça, que induz a dar ao outro o que é «dele», o que lhe pertence em razão do seu ser e do seu agir. Não posso «dar» ao outro do que é meu, sem antes lhe ter dado aquilo que lhe compete por justiça. Quem ama os outros com caridade é, antes de mais nada, justo para com eles. A justiça não só não é alheia à caridade, não só não é um caminho alternativo ou paralelo à caridade, mas é «inseparável da caridade», é-lhe intrínseca..." - in "Caritas in Veritat" (versão integral aqui)
Abandonei aqueles hábitos antigos, não sei, por isso, se o texto acima citado era dito aos fieis, mas tenho a certeza que não. De outro modo, não veria católicos a pedirem, por caridade, à porta de qualquer Pingo Doce, que déssemos o que acabávamos de comprar. Vê-los-ia  sim nas escadarias de São Bento a reclamar tudo aquilo a esta pobre gente tem direito. São Bento, não o Papa, mas São Bento, a Catedral da Injustiça por obra e graça do voto mal dado.

Declaração de interesses: Sou comunista, mas gostava de ver ao meu lado católicos progressistas a baterem-se pela justiça de que falava a citada encíclica... 
(imagem tirada daqui)