18 maio, 2013

Pode-se prestar toda a atenção aos palestrantes, mas o mais importante são os coffee-breaks


Os reputados convidados garantem que estejam na sala todos aqueles que devem estar...

Aos Spin doctors, aos agentes do lobby e a todos os que, como Lily Caneças, fazem gala em se pavonear em qualquer sala, não chega que existam programas televisivos ou jornais a prolongar-lhes a imagem e o discurso. Pinto Balsemão sabe disso e basta abrir o Expresso para perceber que ele não brinca em serviço. São fóruns disto e daquilo, colóquios, seminários, conferencias, outros eventos e lá estão eles, os reputados palestrantes, preparados para dizer hoje o que já diziam antes. Os patrocinadores são a banca, os "psivinte" e outros bem instalados beneficiários do regime. Tudo às claras menos as conversas que se passam no recato dos longos intervalos dos coffee-breaks. No Expresso de hoje anunciam-se vários destes eventos  onde se vai definindo o nosso destino, mas o meu destaque vai para o próximo "Fórum para a Competitividade" que se adivinha promissor. Cito Ferraz da Costa seu presidente: "Tenho horror do dia que a troika saia daqui para fora, porque vai desaparecer a vontade de reformar". Pressinto que este grupo fechado vá dar o resultado de todas as conversas  nos "coffe-breaks" que terão ocorrido no passado... e para resolverem o horror desse senhor...