13 dezembro, 2013

Oeiras, uma ilha de bem estar? - 6

Oeiras, diz-se do concelho, é uma ilha de bem-estar. Se o foi, tende a deixar de o ser pois ninguém escapa ao que está a acontecer. Mesmo para a classe média a vida complica-se. Em recente reunião do executivo da Câmara Municipal, Daniel Branco (vereador da CDU), denunciava a situação de se ir passar a estar, pela aplicação do orçamento em discussão, num concelho à beira do impossível. Diz Daniel Branco, na declaração de voto em que a CDU rejeita aquele documento:
"Sem fazer uma busca exaustiva de tudo quanto os nossos munícipes terão que pagar para o funcionamento do poder local no próximo ano, basta apontar quatro ou cinco rúbricas. Á cabeça, o valor do IMI, estimado em 31,899 M€, logo de seguida, o conjunto das taxas cobradas pelos SIMAS, que andarão pelos 28,040 M€, às quais acresce ainda a Taxa de Resíduos Sólidos, que está prevista em 6,279 M€, e o Imposto Único de Circulação com 9,746 M€. Se somarmos tudo, ficamos com o valor global de 75,946 M€... de acordo com o Censo de 2011, existem em Oeiras 71.584 famílias residentes, isto significa que, em média, cada família pagará para o município 1.061 € em 2014." citação retirada do facebook, página CDU Oeiras
Como podemos entender pelos dados abaixo apurados, é tudo a somar...


4 comentários:

  1. Um abraço também ao "velho" autarca meu amigo Daniel

    ResponderEliminar
  2. Todos a Belém, para quê?! Só se fosse para partir as trombas ao inquilino do palácio! Bem que o merecia!!!

    ResponderEliminar