20 outubro, 2014

O silêncio é de ouro, julgam... outros afirmam ser a alma do negócio... para mim faz um barulho tão ensurdecedor, que já nem posso!


Ontem, no "seu" programa semanal, Sócrates asseverou que Costa já teria dito, se não tudo, teria já dito o essencial. Na imagem, parece aconselhar Costa a não abrir o jogo... Depois das sondagens, é preciso não acrescentar ruído... Ah! mas ele é já tanto!

Vejamos quanto:
«Se nada de essencial é para discutir porque não é oportuno, afasto-me já em bicos de pés para não perturbar o sono das hostes” (...) "É mesmo caso para perguntar que novas 'teorias' António Costa irá inventar, para se furtar ao debate da questão do Tratado Orçamental, da questão da renegociação e/ou reestruturação da dívida, da questão das privatizações e da questão da promiscuidade entre o PS e os negócios? Será a 'teoria do gato asseado', que tapa com areia as suas necessidades? Ou a 'teoria da vassoura', que empurra para baixo do tapete tudo o que é desagradável?»
Alfredo Barroso, fundador do PS, aqui

«...enquanto o PS se não “explicar” inequivocamente em relação às questões fundamentais - tratado orçamental, dívida, défice, sectores sociais do Estado, regulação do trabalho, privatizações em curso -   não há nenhuma razão para acreditar que a política portuguesa vá mudar em consequência de uma simples mudança do resultado das eleições.»
JM Correia Pinto, no blogue "POLITEIA"

«...depois de anos a ouvirmos todos os especialistas, de todos os quadrantes, portugueses e não só, depois de lermos n estudos, com vários matizes, sobre a dívida e formas de a abordar, o PS, que sabe tão bem como toda a gente que estamos perante opções eminentemente políticas, refugia-se num texto vago que parece querer adiar tudo, uma vez mais, para o dia do nunca.» 
Mas nem sempre é possível esconder uma discussão que terá de acontecer: