15 janeiro, 2015

E agora? Que farei sem o meu rato?



Depois do acontecido e já contado sobre o que se passou com o meu gato, que se chamava "Gato", nunca mais aceitei outro. A aceitar, tinha ser na condição de se dar bem com o meu rato. Esse existe. Ou melhor, existia. Desde que tenho a porta (USB)avariada o rato existe mas é um mono e não me serve para nada. Pior, à falta dele é asneira atrás de asneira. O remédio?, já se vê, é mesmo arranjar a porta (USB).

7 comentários:

  1. Depois de me ter morrido o rato que me roía os livros e da gata me ter morrido atropelado, pensei que morria! Voltou-me a consciência da utilidade do conhecimento e senti a falta do calor do pêlo. Nenhum destes dramas domésticos pode ser resolvido pelo arranjo duma porta USB porque uma porta USB não tem arranjo nem pode ter gateira. O melhor mesmo é arranjares um gato que se chame rato e mandar lixar os computadores!
    UM abraço doméstico

    ResponderEliminar
  2. Não gosto nada de ratos, mas nada faço sem esse meu rato informático!

    ResponderEliminar
  3. será que tal gato mudou de chip?


    abraço, caro Rogério

    ResponderEliminar
  4. Com a ponta dos dedos...não chega lá??

    Eu também prefiro o ratón!!

    Quer que lhe empreste uma entrada USB...tenho três! Duas ocupadas, ainda me sobra uma. Disponha!

    Abraço!

    ResponderEliminar
  5. Tão querida, a Janita
    Eu até aproveitava
    Mas no portátil já não penduro nada
    Parti tudo à volta
    não tenho onde colocar uma porta

    Não tenho outro remédio, vai com o dedo...

    :))

    ResponderEliminar
  6. O vídeo é um encanto :)
    Sabe que tenho um blogue sobre gatos? :) portanto vou roubar este seu gato e ratos e agora fica ainda mais complicada a sua situação por aí ! :))

    Também não me ajeito sem o rato!

    beijinho

    ResponderEliminar