19 fevereiro, 2015

Qual ruptura, qual carapuça. Eles no fundo entendem-se em (quase) tudo

Juncker ouve atentamente o que o alemão, em segredo, lhe lhe vai dizendo:
«Dá tu uma no cravo que eu dou na ferradura, a ver se esta "coisa" dura...» 
Em poucas horas surgem declarações que dão para todo o tipo de especulações. Schäuble, deu na ferradura e disse que Portugal, em conjunto com a Irlanda, é "a melhor prova" de que os programas funcionam, "e de forma mais eficaz do que muitos esperariam há quatro anos". Jean-Claude Juncker deu uma no cravo, como o combinado:"Pecámos contra a dignidade [da Grécia e de Portugal]"
Estou como o outro, com muito meu acordo, que diz: