19 agosto, 2015

Os indiferentes e os suspiros dos submissos...

"Nunca teria havido evolução se a indiferença fosse um valor da espécie humana",diz-lhe o homínidio
«... Não podem existir os apenas homens, estranhos à cidade. Quem verdadeiramente vive não pode deixar de ser cidadão, e partidário. Indiferença é abulia, parasitismo, covardia, não é vida. Por isso odeio os indiferentes. A indiferença é o peso morto da história. (...) A indiferença actua poderosamente na história. Actua passivamente, mas actua.(...) Alguns choramingam piedosamente, outros blasfemam obscenamente, mas nenhum ou poucos põem esta questão: se eu tivesse também cumprido o meu dever, se tivesse procurado fazer valer a minha vontade, o meu parecer, teria sucedido o que sucedeu?... »
"Os Indiferentes", António Gramsci (ler tudo in Voar Fora da Asa)