12 abril, 2016

"O último ano do Tua" - história de uma luta e de quem lhe provocou a derrota

A luta é filha legítima da esperança. É por isso que dizemos, e por vezes gritamos, a luta continua, mesmo se pelo caminho fiquem batalhas perdidas. E será por isso que o Grupo Parlamentar do PCP terminou a sua jornada sem uma palavra sobre o Tua... é que a luta continua e não há tempo a perder para mexer em feridas recentes. Haja memória.
Haja memória, quer através do excelente trabalho da Manuela Araújo (recomendo todos os vídeos), quer pelo detalhado reporte das diferentes fases da luta, quer pelas palavras de quem recriminou o desfecho. Crime? Sim, foi um acto criminoso a destruição de tão importante e belo património.

4 comentários:

  1. boas causas as tuas. sempre

    que nunca a voz te doa!

    forte abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ás vezes dói é ficar calado, meu caro

      Abraço, apertado

      Eliminar
  2. Olá Rogério,

    Esta batalha travada no limite de uma guerra praticamente perdida pelo menos serve para que se saiba a monstruosidade que representa esta barragem. Poderia dizer que é incompreensível como isto avançou a este ponto, mas infelizmente, percebe-se bem as razões. Totalmente inválidas para quem vive e trabalha na região e para quem se preocupa com o ambiente e património. Mas alguém ganhará com isto, como sabemos.

    Esta é uma história triste, muito triste.

    Obrigada pelas suas palavras e pelo "link.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que lhe agradeço

      e agradeço a todos os que estiveram na denúncia
      e na luta

      meu texto reúne a memória
      talvez não toda, mas chega para ficar sabendo

      Abraço

      Eliminar