31 agosto, 2016

Dilma: "Esta história não acaba assim!"


"Dilma - The end" é um título lido por aí semelhante a tantos outros lhe dão por destino o silenciamento e a resignação como se a têmpera (e o passado) desta mulher aceite tal humilhação.

Num discurso feito há pouco, Dilma é clara:
"A descrença e a mágoa que nos atingem em momentos como esse são péssimas conselheiras. Não desistam da luta."
...e finaliza citando um poema de Maiakovski:
”Não estamos alegres, é certo,
Mas também por que razão haveríamos de ficar tristes?
O mar da história é agitado
As ameaças e as guerras, haveremos de atravessá-las,
Rompê-las ao meio,
Cortando-as como uma quilha corta.“

11 comentários:

  1. O melhor olhar para a história é o distanciamento. Sem dúvidas. Não acaba aqui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso distanciado
      Mas ajo comprometido

      É que se a história continua
      é por há sempre quem não lhe enxerga o fim
      (e o povo brasileiro sabe-o)

      Eliminar
  2. O Brasil no seu pior...

    Beijinhos, Rogério :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ”Não estamos alegres, é certo,
      Mas também por que razão haveríamos de ficar tristes?"

      Eliminar
  3. Praticou durante uma vida a bravura e a responsabilidade...
    Agora, pode desempenhar cargos públicos, menos o de presidente...
    Muito triste.
    Bj ~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dilma confiou demasiado
      em quem não merecia confiança

      Eliminar
  4. Tens razão, Rogério; "Se a História continua, é porque há sempre quem não lhe enxerga o fim"

    Abraço!

    Maria João

    ResponderEliminar
  5. O povo brasileiro é alegre e não desiste da luta. Confiemos!

    Um beijinho grato amigo Rogério

    ResponderEliminar
  6. Uma mulher de fibra! Não se vai ficar, ai isso não!!!
    Força, Dilma! Contra os oportunistas, os golpistas cheios de sede para «irem ao pote»!! (onde é que eu já ouvi isto?!)

    ResponderEliminar
  7. Dilma é uma mulher de coragem. Sempre o foi. Mas os opositores têm outras armas. É uma luta desigual. Gostaria que a vencesse para bem do povo.

    ResponderEliminar