28 janeiro, 2017

Poesia (uma por dia) - 89

pés debarro.jpeg
PÉS DE BARRO
Dar-vos-ia o que tenho, nada tendo;
O intenso travo a sal do mar que sou,
A fonte de onde o verso me brotou,
As mãos com que costuro e me remendo,

A dúvida, a certeza e quanto entendo
De uns dotes com que a vida me dotou,
A beleza que tive e já murchou,
A musicalidade a que me prendo,

A rosa, o espinho, a força, o estro, a chama
E tudo, tudo aquilo a que me agarro
Pr`a manter-me de pé, fugindo à cama...

Poeta sobre humanos "pés-de-barro",
- que mil vezes prefiro a ´mãos com lama`...
Eu dar-vos-ia o céu... por um cigarro!
Maria João de Sousa
in "poetaporkedeusker"