09 maio, 2017

Baptista Bastos partiu? Qual quê?,é boato!

«“na certeza das minhas convicções sem certezas absolutas”, assimilei que a experiência democrática tem feito de nós sujeitos éticos, cujo silêncio não significa nem aquiescência nem resignação. Porém, não há democracia que seja a inexistência do todo. Eu próprio me interrogo sobre o valor que possuo da democracia. Reconhecendo que esta, a “nossa” é abjecta. Mas tem saída. Porque estamos cá”.»*
E estamos! 
______________________
*Extracto da primeira crónica de Baptista-Bastos no Correio da Manhã, Quarta-feira, 29 de Outubro de 2014, após "um factótum" o ter despedido depois de sete anos de crónicas no Diário de Notícias, única colaboração que me fidelizava a leitura de tal jornal. Na altura senti que ambos tínhamos sido despedidos...

6 comentários:

  1. Na minha memória fica gravado para sempre.

    ResponderEliminar
  2. Caro Rogério, você disse tudo lá no meu canto.
    Assinei por baixo e mantenho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E disse assim:

      «Tanto ou mais que a obra deixada
      ficam os valores, como memória de um homem integro»

      Eliminar