04 novembro, 2017

Inês de Medeiros no seu melhor

Esta imagem é uma fotomontagem minha, a original anda por ai...

Todos nós, eleitos, fazemos tudo o que de melhor podemos e sabemos para deixar, na nossa tomada de posse, uma impressão coerente com o respeito que o eleitorado nos merece. Todos, cada um à sua maneira, procuram dar de si o seu melhor, marcar terreno, dar conta das principais linhas que orientarão o mandato, anunciar projetos e até mesmo lançar desafios.

Inês de Medeiros não foi exceção. Em cerca de 28 minutos de discurso fê-lo sorrindo e rindo, rindo muito. Parecia que o seu melhor estava bem preparado (o nervosismo que registou não conta, e pode até ser entendido como uma forma de transmitir emoção e sentido de responsabilidade).

Só que o seu melhor passou a resvalar para o mau. Logo após o 23º minuto do seu discurso (ver vídeo) Inês de Medeiros avança com iniciativas  para combater o défice de qualificação e os problemas do abandono e insucesso escolar em Almada. Da plateia vozes alertam que isso estava sendo feito. Inês interrompe para responder com um "já sei que já há" e segue lendo. O seu melhor, aqui, foi mesmo mau, pois se já havia, porque não afirmar que iria continuar? Propor ao vereador CDU eleito, ali presente, que continuasse esse trabalho ou, no mínimo, responsabiliza-lo para melhorasse processos, procedimentos, práticas...

Mais adiante, o seu melhor caiu no péssimo: Inês de Medeiros, chamava ao seu mandato uma iniciativa há muito em prática por parte da rigorosa gestão da autarquia. Diz Inês que Almada iria passar a ter um Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo. Vozes exclamaram, da cheia plateia, "mas isso já existe"... procurei e... existe mesmo, querem um exemplo? ver aqui, com data de 14 de Janeiro de 2014, "Candidaturas online para apoio ao Movimento Associativo"

Fosse ela, no seu melhor, ao menos razoável e os vereadores da CDU teriam aceite pelouros. Aquele ( Educação, a Cultura, o Desporto) e outros!