20 abril, 2018

...e por cada cravo, um direito conquistado


Ao fim da manhã, o jardim estava assim, pejado de cravos. Por cada cravo um direito conquistado, transcrito da Constituição de Abril. Mais de cem cravos nascidos de mãos laboriosas de pessoas idosas. Umas lá do bairro, outras do Centro de Dia da Paróquia de São Julião da Barra e de outras mãos também...

Essas outras mãos, jovens, aderiram à iniciativa. E esta adesão é marcante, pois "somos a memória que temos".
Se não passarmos o testemunho, serão frágeis os laços e, assim, mais em risco os direitos conquistados.

Como ficou belo o jardim
Enviar um comentário