08 abril, 2018

Um conto ao Domingo - X ("o regresso da gaivota e a sua boa nova")


"Olá" - grasnou ela, do lado de fora daquela mesma janela onde outrora tinha pousado.

"Olá" - respondi-lhe da mesma maneira, dirigindo-me a ela, sabendo por situação passada que não fugiria à minha aproximação. Não fugiu, como então. Sabendo já o que fazer, fiz o que antes tinha feito, julgando saber que me procurava para que lhe desse daquele alimento que as gaivotas esperam poder comer quando pousam nas nossas janelas. Ela ia depenicando e olhando. Depenicando e olhando. Após a décima depenicadela olhou-me como olham as gaivotas e interrogou-me.

"Não me perguntas porque regresso?"

Surpreendido e até contristado por nem sequer me ter ocorrido tal pergunta, respondi por palavras dela.

"Não são muitos os homens que alimentam a liberdade, agora que é hora em que ela mais periga!", foi o que me disseste em tempos. Julguei que teu regresso teria a ver com o mesmo reconhecimento!..."

"E tem, mas também te trago uma novidade. E porque é boa, quis vir dar-ta. Como o bando me espera, tenho que ser rápida. Desde o ano passado não tenho parado. Cruzei mares, sobrevoei desertos, pousei em mil um beirais. Vi muito, por esse mundo, guerras, desmandos e, apesar de tudo...", grasnou levemente, como se estivesse emocionada, e continuou, no ponto em que tinha ficado "... apesar de tudo são cada vez mais os homens que, como tu, me alimentam o voo e se batem pelo sonho da igualdade, combatem cercos de autoridade, de injustiça mascarada, de prepotência e de rituais de guerra."

E grasnando ao bando que naquele momento ia passando, voou ao seu encontro e lá foram, mais uma vez, em direção ao mar, naquele elegante voo que as gaivotas usam quando trazem boas notícias.
NOTA PARA O LEITOR - Este conto, que lembra o outro, não aconteceu o que não quer dizer que amanhã não venha a acontecer...

Rogério Pereira 

16 comentários:

  1. Li os dois, já que não tinha lido o primeiro. E gostei muito. Gostei principalmente dessa boa nova.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A boa nova, à beira de Abril
      "Somos muitos, muitos mil!"

      Eliminar
  2. Boa noite. Muito bom este texto. Adorei.:))

    Hoje:- {Poetizando e Encantando } Embriagada na timidez de um sonho.
    -
    Bjos
    Votos de um Óptimo Domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos os poetas gostam de gaivotas
      Todos nós gostamos de boas novas

      Eliminar
  3. Saber que essa gaivota, itinerante,
    encontrou gente boa que a alimentou
    durante esse seu voo incessante,
    já é para mim uma boa nova.

    Tomara que esse sonho, sem tempo, da igualdade
    possa tornar-se numa grande e verdadeira realidade.

    Já não será sem tempo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A boa nova, à beira de Abril
      "Somos muitos, muitos mil!"

      E não esqueçamos
      de tudo aquilo
      que a gaivota viu

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Todos os poetas gostam de gaivotas

      Mas nem todos lhes damos alimento

      Eliminar
  5. Soube da primeira visita da gaivota e fico agora a saber deste retorno.
    Não estranhei. Afinal ela procura quem a ajude a continuar o seu vôo e, segundo ela própria anuncia, são cada vez mais os humanos que lhe admiram/alimentam as "asas de vento" e o "coração de mar".

    Bom vôo e um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...e lembrando Ary

      Sou a gaivota
      que derrota
      todo o mau tempo no mar alto
      eu sou o homem que transporta
      a maré povo em sobressalto.

      Eliminar
  6. Gostei muito do conto. Todas as aves que chegam trazem sempre novidades. Basta saber decifrá-las.
    .
    * Saudade de ter ... Saudade *
    .
    Feliz início de semana
    Bom dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não generalizaria

      ainda andam por aí vampiros
      e aves de rapina

      Eliminar
  7. O conto é excelente...como o outro! Assusta pensar na possibilidade de estarmos, mesmo, a olhar para o fim da liberdade...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. gostei do conto
    e da volta da gaivota

    muito interessante

    beijinhos

    :)

    ResponderEliminar
  9. A Ana tem medo do fim da Liberdade, desta só tivemos o cheiro... e será muito pior do que isso.
    Já agora, que tal o "acordozinho"? Estou a "adivinhar" muito e nem preciso ser bruxa lol
    Estão com pressa e é natural que estejam, nem foi preciso chegar a eleições, como não foi preciso para sair Passos, nem Costa chutar no Seguro e eu bem vi a cara do Jerónimo a ter que assinar o papel para Costa ir para o poleiro... sem eleições mas, há que seguir ordens, de cima, de cima, de cima... até não saber bem de onde vêm, nem o porquê.
    Parece-me que não saiu o meu comentário sobre dinheiro e dívida mas, viu agora a estupidez da explicação do M.M.?
    Vai sair a Inglaterra (podemos esperar sentados) "a U.E. vai ter mais despesa" e vão fazer um acordo para nos poderem mandar mais uns milhões...
    Apertar as grilhetas já era, agora é preciso soldadura e quanto a Poder Local, também eu acreditava nessa, mas agora vai ser Poder internacional no Local. "capiche"? ;)
    Mais um "tempinho" e fica fácil explicar o porquê.

    Para haver Liberdade, cada um, teria de usar a sua própria Consciência.
    Consciência vem da palavra latina "consciere" que significa "saber bem" ou "saber definitivamente/sem dúvida)
    "consciere" vem do verbo "sciere"(saber), a que se juntou o prefixo-com (junto/com)
    Só muitas Consciências juntas nos poderiam dar a Liberdade mas, o tempo escasseia para acordar Consciências e a nossa parte espiritual sobre o que é certo e errado, para servir de guia às nossas acções mas... o pessoal quer é a papinha pré-mastigada, dá muito menos trabalho seguir ordens do que aprender ou até ler mais do que as letras gordas (têm sido "educados" para isso).
    Precisamos saber a origem das palavras porque até com as palavras e seu significado nos conseguem enganar.

    Se olhar para a História, os maiores genocídios ou o pior que encontrar, não foi executado por um homem ou grupo de homens psicopatas mas, por quem desligou a própria Consciência para executar Ordens e isto, é uma Verdade mais que óbvia, só não vê quem não quer, num Mundo de "cegos" a comandar "cegos".
    Enquanto não se mudarem as causas, as consequências só têm tendência a piorar e, Causa/Consequência é uma das Leis Naturais/Universais/Morais as únicas que devíamos seguir por serem Eternas, Imutáveis, aplicáveis em qualquer parte ou tempo e não podem ser alteradas ou corrompidas por nenhuma Lei feita por homens.

    A única pergunta que cada um devia fazer será, até que ponto conseguirá manter a sua própria Consciência desligada para, simplesmente, seguir ordens e aqui, não interessa o Partido, se é polícia, militar, funcionário público ou médico... há muitas coisas erradas que precisavam mudar mas, como a História nos ensinou, alguns, até foram capazes de matar... por serem muito bons a obedecer, a cumprir e a fazer cumprir ordens (o que ensina qualquer Religião, obedecer por Fé).

    Como, algures, já disse, eu não tenho Religião por não gostar de intermediários mas leio o que está escrito, muito antes da criação desses "negócios" e manipulações, portanto, está mais que em tempo de, cada um, descobrir que tem uma Consciência, para a usar, como guia nas suas acções e contra todas as Trindades Globais como a Trindade: Religião (pai), Dinheiro (mãe), Governos (crianças) e, como todas as crianças, muito fáceis de manipular.

    O termo “Grande Tribulação” pode causar alguma confusão, poucos perceberão metáforas que alguns até chamam de "historietas" mas, quanto ao Futuro, se as Consciências individuais continuarem desligadas e, já não espero outra coisa, sem dúvida nenhuma, "será o tempo de problemas e dificuldades como nunca antes visto na Terra". Tribulação ou tribulações não nos vão faltar (políticas e naturais e, estas últimas, as duas facções da elite, sabe-as todas e a luta só está em quem vai ficar a controlar e, como, os que vão sobrar).
    Mafalda

    ResponderEliminar