18 maio, 2015

«O que há de característico e fundamental no desporto é, justamente, o que define e caracteriza a sociedade em que ele se realiza»

 Prof. José Esteves, citado aqui

Ao ver este vídeo, ler os jornais e telejornais, não posso deixar de pensar como tudo é excessivo, agressivo e emocionalmente virado para nos preencher por dentro. Tanto, que recuo no tempo e sinto um arrepio ao situar-me na época marcelista.
E veio-me à lembrança um livro antigo, 1970, do Prof. José Esteves ("O Desporto e as Estruturas Sociais"), do qual extraio esta passagem, que até parece ter sido escrita hoje, embora se tenham passado 45 anos:

NOTA: O livro emprestei-o e nunca me foi devolvido, esta passagem encontra-se num artigo de Carlos Fino, que pode ler aqui

4 comentários:

Maria Eu disse...

No desporto, como na vida, sente-se a degradação dos princípios que está a par com a degradação sócio-económica.

Beijos, Rogério.

Elvira Carvalho disse...

A verdade é que o desporto hoje em dia, tem muito pouco de desporto e muito de ganância, corrupção e sei lá mais o quê.
Depois, acredito que aos governos sirva na perfeição esta alienação colectiva.
Um abraço

Lídia Borges disse...


Nem sei o que dizer destes fenómenos. Decerto que não faltarão estudos que explicam tais comportamentos. Uma festa do futebol que vira batalha campal costuma ser notícia de países ditos do terceiro mundo. A violência, a destruição gratuitas são, porventura, o resultado de uma sociedade muito doente em que as pessoas deixaram de ser o valor mais alto a considerar e passaram a ser instrumentos utilizados para justificar ações menos inteligíveis

Depois há ainda uns polícias que querem meter tudo na ordem à força do bastão.

Tristeza e decepção, só!...


Joana C. Silva disse...

Nada do que vivemos foi criado para se viver como se vive.