19 setembro, 2013

Desabafos e certezas

A campanha iria bem se os valores fossem outros. O poder vai pender para quem pode, dizem. E há quem tenha dinheiro (sabe Deus vindo donde) e quem, mesmo não o tendo, o gasta. Gasta à farta. O eleitor, aquele e este outro senhor, vão decidir pelo que lhes entra no olho, dizem. Quem mais prometer e se mostrar é que vai ganhar, dizem. E a batalha está aí. Batalha no verdadeiro sentido da palavra, pois até chegaram a vias de facto. Mas batalha, também, para ver quem arrebanha mais gente... Quem tem mais outdoors com promessas de sonho... Mais veículos pintados, com rostos aperaltados... mais camisolas garridas oferecidas... mais passeios nas ruas e avenidas... mais comezainas e banquetes. Espectáculo. Triste e caro espectáculo, onde se espera que os construtores do empobrecimento e seus marionetas, figurantes e figurões, vençam.  Vencerão, dizem...
Em minha opinião, será grande a abstenção e enorme o nosso reforço. Reforço por que me esforço, com os valores que tarde ou cedo serão reconhecidos. O povo tarde ou cedo há-de acordar, digo.