18 janeiro, 2019

O BRASIL DAS “INTELIGÊNCIAS SAFADAS”

“Mas não vivemos em tempo ordinário (…). Cada indivíduo se julga com o direito de ensinar qualquer coisa, surgem apóstolos de todos os feitios, sumiu-se o ridículo e o mundo se vai tornando inabitável”.
Graciliano Ramos, “Linhas Tortas”
Ler tudo isto e mais n´«O Lado Oculto»

17 janeiro, 2019

Para a CDU, a alternativa à União Europeia não é a autarcia, ou isolamento...

«Para a CDU, a alternativa à União Europeia não é a autarcia, ou isolamento.
Muito pelo contrário, são novas formas de cooperação na Europa, baseadas na soberania e na igualdade de direitos dos Estados, orientadas para o desenvolvimento social e económico, para a reciprocidade de vantagens, para a promoção dos valores da paz e da solidariedade.
Ao longo dos últimos cinco anos, os deputados da CDU no Parlamento Europeu mantiveram uma permanente ligação com a realidade nacional, palmilharam, como nenhuns outros, o país de lés a lés, defenderam firmemente os interesses dos trabalhadores, do povo e do país, combatendo todas as decisões que os prejudicassem.»
Nem sei porque me resolvi dar destaque a esta parte.
Ou, no meu íntimo, talvez saiba
Tem aqui a intervenção toda
Faça a sua escolha

15 janeiro, 2019

Abelhas, são abelhas. Vespas, são vespas. Mas o Mundo é dominado pelas abelhespas...


Por vezes não procuramos a metáfora, é ela que se vem impor. Assim:
A tarde estava fria. Que o digam as abelhas na procura desesperada de um abrigo. A procura, persistente, escrutinava fresta a fresta todas hipóteses na casa de madeira. A abelha-rainha não tinha desistido, nem as obreiras, nem aquele zangão, o primeiro a ficar preso na teia que uma ausente aranha tinha montado, sabe-se lá quando, na certeza de estar ali para incautas moscas e não para tão nobres seres. Zangão e abelhas iam ali ficando até lá se finar a abelha-rainha, a última a murrer. Triste e imerecido fim.
Lá longe, em espaços palacianos, onde o poder define quem tem e quem não tem direito a colmeias, a cera e a mel, as abelhespas estão ainda longe de se devorarem umas às outras. Esse fim seria a salvação... Entretanto a ameaça paira, alheia a lúcidos alertas de avisado apicultor : "se as abelhas forem extintas a humanidade terá apenas 4 anos de existência". Talvez menos, pois são vorazes os vespeiros...
Este texto começou exactamente com o desespero do bando, filmado pelo meu genro