09 setembro, 2015

Passos vs Costa - Do wrestling (há a luta real, e há a luta inventada. Depois, mais nada)


Sentei-me na poltrona e esperei a hora.
Os contendores foram escusados da vénia, mas trocaram sorrisos, talvez a disfarçar tensões, nervosismos. Mas antes de começar o confronto, já o wrestling tinha ganho um importante ponto: o condicionamento do povo. Cada um dos espectadores colocados viram reduzidas as opções, e foi assim: "venha o diabo escolha"!
Por mim, aplaudo tudo o que Costa jogou, mas não posso aplaudir os golpes a que Costa se furta. O wrestling tem regras e ninguém luta fora delas. Os entrevistadores, senhores do seu oficio, sabem disso:
"Quem e como pagar 8 mil milhões/ano só de serviço da dívida?"
Alto, essa pergunta é proibida!
"Onde vai parar a venda do País?"
Alto, essa pergunta é infeliz!
"Que fez o PS durante quatro anos de empobrecimento?"
Alto, paremos as perguntas por falta de tempo!
"Se estamos na UE, como foi e como vai ser?"
Como ninguém perguntou, como iam responder?
Subscreveria todas as respostas de Costa, fossem outras as regras do confronto e as questões omissas fizessem parte das regras...
Foi Costa que ganhou? Mas quem foi que perdeu?