30 agosto, 2016

O que aproxima "Tiradentes" de Dilma?


“A história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa?”interroga-se Marx. E perdura a interrogação perante a farsa do julgamento de Dilma e a memória que nos liga ao percurso do povo irmão, com a execução trágica de Tiradentes.
Ligação excessiva e sem sentido?
Dilma não será esquartejada no corpo, os tempos são outros. Mas... e na alma?

Tudo isto a propósito de um texto longo, (leitura adversa para que passa com pressa...)

10 comentários:

  1. Um excelente artigo.Pena que a maioria do povo brasileiro não tenha uma noção real do que representa esta crucificação de Dilma.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabemos o que o povo pensa, mas julgo que os senadores terão pavor ao que o povo possa pensar.

      Eliminar
  2. Leitura impossível, de momento, quando estou a ser pressionada para "dar uma mãozinha" - interminável "mãozinha"... - na revisão da obra de uma vizinha amiga... mas farei um esforço grande para conseguir, mais tarde, voltar a ela.


    Abraço!


    Maria João

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Volte se pode
      o texto é, além de tudo, uma lição de história

      Eliminar
  3. A advogada de acusação chegou a citar is netos da presidente!
    Até onde podem chegar!
    Bj ~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se o nome dela ficará na história
      o da Dilma
      fica

      Eliminar
  4. Mau de mais o que se passou hoje no Brasil. Hoje e de há uns meses para cá. Fui a crucificação de Dilma e a crucificação da democracia, o que é bem pior!!! Uma vergonha sem tamanho a que o mundo assiste mudo e quedo. Assim fizeram, mudos e quedos, com Hitler e ele ascendeu até onde sabemos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os povos acordam tarde
      mas acordarão
      quer queiram, quer não

      Eliminar
  5. Amigo o povo brasileiro está nas ruas (a parcela consciente), porém, a repressão está acontecendo, pessoas sendo presa sem motivos e perdendo emprego por terem expressado sua opinião. Vejo dias negros pela frente, mas não vamos deixar de lutar, pedir novas eleições e garantir que Dilma volte em 2018, como senadora, mas que nunca buscamos agora fortalecer e unir os trabalhadores (aqueles consciente, pois infelizmente 1% da elite pode e deve comemorar, pois conseguiram o que queriam e os demais, apenas sofrerão sem saber o que os abateu, pois a mídia não mostra).
    Abraços

    ResponderEliminar
  6. muito ainda se vai assistir sobre este assunto...

    :(

    ResponderEliminar