26 julho, 2016

O regresso... e algumas frases batidas


Por fim, regressado.
A imagem não é bem a de Manta Rota à hora-de-ponta, mas era parecida, com a maré vazia. Para evitar dar cotoveladas, chegávamos cedo. Toalha estendida, procedia à minha primeira rotina, ler a imprensa - "a leitura matutina do jornal é uma espécie de prece realista" (Hegel) - e, assim, dias a fio, fui consolidando a certeza e actualidade das minhas frases preferidas. Umas muito batidas, outras nem tanto:
  • Mudar o Mundo não custa muito, leva é tempo (aqui)
  • O impossível é tão só e apenas aquilo que ainda não aconteceu (aqui)
  • "Insanidade é estar a fazer as mesmas coisas e esperar resultados diferentes" (aqui)


  • A desvantagem de ter péssima memória é sofrer muitas vezes com as mesmas coisas más como se fosse a primeira vez. (aqui)

  • ______________
    NOTA DE AGRADECIMENTO: A todos os que aqui foram passando o meu obrigado. Beijos e abraços, conforme o caso.

    14 comentários:

    Lídia Borges disse...

    Seja bem vindo!
    Rever a matéria "dada" é um bom (re)começo.

    Bj.

    Lídia

    Catarina disse...

    Conheço Manta Rota e posso imaginar a multidão aos fins de semana e nos fins de julho.

    Uva Passa disse...

    Sejas bem regressado meu caro Roger!!!!!!!!

    heretico disse...

    abraço, caro Rogério
    retemperadas as forças, nota-se.
    gostei das "frases batidas"

    Graça Sampaio disse...

    Bom regresso. Já tinha saudades da sua «conversa avinagrada» (mais avinagrada de nome do que de facto...) Pensei que estivesse na Praia da Areia Branca...

    Beijinhos regressados...

    Majo Dutra disse...

    Ótimo regresso ao convívio...

    Essa imagem é do 'inferno à beira-mar plantado'!
    As frases escolhidas para 'ponte' são bastante eloquentes.
    Bj ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    Rogerio G. V. Pereira disse...

    Somos a memória que temos
    revisitá-la
    é um apelo de Minha Alma

    recomecemos!

    Rogerio G. V. Pereira disse...

    Catarina
    aquela é uma imagem
    na China

    Mas... na Manta havia quase tanta malta

    Rogerio G. V. Pereira disse...

    Oito pontos de exclamação?
    Obrigado,
    pela emoção!

    Rogerio G. V. Pereira disse...

    Meu caro, nesta tão curta ausência
    passaram-se tantas (pequenas) coisas
    que nem sei porque ponta lhes pegue

    Rogerio G. V. Pereira disse...

    Tal Praia é uma minha referência
    mas os netos gostam da água quentinha
    (por pena minha)

    Rogerio G. V. Pereira disse...

    Ponte?
    É uma boa "deixa"...

    Anónimo disse...

    Essa imagem, confesso, reforça a minha coragem(?) de afirmar que não tenho pena nenhuma de não poder ir à praia...

    Boas re-entradas e um forte abraço!

    M João

    Parapeito disse...

    Numa praia assim...só mesmo um grande resistente :)