23 agosto, 2015

"Não se esqueça do Cid". E não me esqueci!

O mail de um comum amigo era sucinto: Não se esqueça do Cid! E respondi que não me esqueceria, tendo o cuidado de confirmar o dia. Como poderia esquecer alguém que teve o passado que teve, que continua a "voar fora da asa" e para quem as "palavras são armas"?