27 agosto, 2015

Tiros no coração...

imagem tirada a quem há muito se ausentara

Mauro está-me na memória, assim como muitos amigos. Nunca apaguei ninguém no coração, nem me fui deixando de me importar, de querer bem... Ninguém me morre cá dentro. Ao contrário, admito que eu próprio tivesse sido morto, assim, no coração de quem me tinha em estima. Por culpa minha. Talvez com toda a justiça.
Assim, um dia terei sido a pessoa que morreu
como Mauro escreveu

ou simplesmente jazo esquecido