29 agosto, 2015

Poesia (uma por dia) - 79

 

AOS QUE VIEREM DEPOIS DE NÓS

Bertolt Brecht
(Tradução de Fernando Peixoto)

É verdade, eu vivo num tempo sombrio!
Uma palavra sem malícia é sinal de tolice.
Uma testa sem rugas é sinal de indiferença.
Aquele que ri
Ainda não recebeu a terrível notícia.

(Este poema citou Cid um dia
e hoje chegou a vez de Maria)