07 fevereiro, 2017

Que merda é esta? Deixem sossegadas as crianças... III


Ontem, dia de aniversário, aconteceu o que sempre acontece: parecia que tinha reunido o conselho de família e a discussão foi intensa. Os genros repartiram-se, ao seu estilo, entre a veemência e a fala mais pousada e calma. Elas, seguiam atentamente os argumentos esgrimidos, intervindo onde sentiam que era preciso e os netos distraiam-se com o que lhes era possível e legítimo distrair-se.  O tema central começou com a manifesta falta de concentração do meu neto nas aulas, para depois tocar de tudo um pouco, desde a necessidade de introduzir nova pedagogia no ensino da matemática até à organização do transporte escolar, passando pela elevada carga horária em sala, compelindo à total exigência das imobilizações dos pequenos corpos, na postura de sentados e com a exigência de elevada concentração do olhar e da audição. 
Apagadas as velas e partilhado o bolo de aniversário, cada um foi para seu lado.

De manhã, cedo, em trabalho com o "meu" vereador (sem pelouro) para arrumarmos ideias, veio à baila a "municipalização da educação" e o tanto que me insurgia contra o que julgava eu ser a ingerência da autarquia nos conteúdos curriculares. E o vereador lá me foi dizendo que eu estava enganado e que aquela porra do "empreendedorismo" está mesmo contemplada, no 1º ciclo, como área temática.

Hoje, à noite, no telejornal foi atraído pelo titulo "Agravamento de indisciplina nas escolas causa preocupação" e concentrei aí toda a atenção. Findo o programa, comentei para mim próprio, a propósito da indisciplina: "Não há efeito nefasto, que não tenha uma estúpida causa"
E fui fazer uma comparação justificada.  
Viram? 
Fica agora a pergunta: Quantas participações disciplinares produzirão os directores das escolas finlandesas?