09 agosto, 2013

Urbano Tavares Rodrigues (Os nossos mortos não morrerão)

Comunista até ao seu últimos instante. Ele o disse, já depois de ter construído o seu destino...
DESTINO

Na mais lebrega alfurja
ou na cama de folhas macias
da floresta
onde a chuva te adormeceu
há sempre um diamante de sol
cujos raios te penetram de
ventura
ao sonhares a palavra
liberdade
Urbano Tavares Rodrigues, 
(extracto  do poema "Destino")