11 setembro, 2016

Os 11´s de Setembro e a "guerra interminável"

imagem editada aqui
Os onze de Setembro são datas para serem lembradas. Embora não pareça, uma (1973) será precursora da outra (2001). Mas a mais funesta foi outra data da qual muito pouca gente fala. Foi nessa em que começou a "guerra interminável":
«...No dia 14 [de Setembro] vão completar-se 15 anos da aprovação, no Congresso dos Estados Unidos, de uma resolução conhecida como Autorização para o Uso da Força Militar (AUMF, em inglês), que dá ao Presidente que estiver sentado na Casa Branca autoridade para “usar toda a força necessária e apropriada contra as nações, organizações ou pessoas que determinar terem planeado, autorizado, cometido ou auxiliado ataques terroristas”, assim como contra os que “abrigaram estas organizações ou pessoas”.
Sim, a AUMF ainda está em vigor e continuará a ser legal quando o sucessor de Barack Obama for eleito. Se o Presidente George W. Bush usou a resolução para bombardear o Afeganistão, declarar “guerra ao terrorismo” e ao “eixo do mal”, invadir o Iraque (houve debate e uma votação específica a autorizar a invasão, mas a AUMF – e a “guerra preventiva” – como única forma de derrotar quem conspira contra os EUA antes do país sofrer novos ataques esteve entre as justificações) e lançar drones no Iémen; Obama ainda hoje a usa para bombardear alvos na Síria, Iraque, Líbia, Somália, Afeganistão, Paquistão, Iémen, ou para mobilizar forças especiais em qualquer país...»