01 setembro, 2016

Amanhã... até do outro lado do Atlântico sabem do que estou falando


Quando, por esta mesma altura do ano, eu escrevia sobre uma Festa passada ("E se vivêssemos nessa harmonia? Sei que muita gente não gostaria... e é pena!") alguém que muito estimo vem-me comentar esse texto. Dizia ela assim:
«Sei exactamente o que descreve. É bom sentir-se assim. Vou te contar um caso. Quando meu filho começou a estudar na escola onde está até hoje, há uma moça que vende pães caseiros. Ela deixa os pães sobre a mesa. Vc passa, pegava o pão e deixa o dinheiro. Se vc não tiver dinheiro, pode levar o pão e pagar depois. Ela não fica ali. Deixa apenas o pão e nunca é roubada. Só por isso já me apaixonei por essa escola.»
 Obrigado Malu Machado, tal escola é uma representação da nossa, um país como deve ser. E será!