23 abril, 2018

Dia Mundial do Livro e do Autor? Pois então que seja hoje!


Pois então que seja hoje que dou destino ao que resta do meu livro. Um pequeno stock, que me olha interrogativo quando abro o armário. Sempre que isso acontece, e já lá vão mais de 6 anos, parece que oiço o coro de livros perguntando,"quando?" 

Contei-os, e pensei que talvez valham qualquer coisa para o destino que lhes tracei, doa-los. Isso! vou doa-los aos "desenhadores de sonhos" que mais rigorosamente dão, no registo nacional de pessoas coletivas, pelo nome:


Quem quiser adquirir memórias dos meus afetos, raivas, angustias e medos, por terras de Angola, durante a Guerra Colonial, a troco de um donativo, envie um mail para o endereço. 
desenhando1974sonhos@gmail.com
E, entretanto, fica um escrito que pode ser lido logo na página 5
«Contamos histórias, pois claro. Contamos a nossa própria história, não a da vida, não a história biográfica, mas essa outra que, em nosso próprio nome, dificilmente teríamos a coragem de contar, não por dela nos envergonharmos, mas porque o que há de grande no ser humano é grande de mais para caber em palavras, e aquilo em que somos geralmente pequenos e mesquinhos é a tal ponto quotidiano e comum que não levaria qualquer novidade a esse outro grande e pequeno que é o leitor. Talvez por tudo isto alguns autores, entre os quais me incluo, favoreçam, nas histórias que contam, não a história dos que vivem e vêem viver, mas a história da sua própria memória. Somos a memória que temos, e essa é a história que contamos.»
Saramago?
Pois! Claro!