24 abril, 2018

A Liberdade acaba, quando se perde a memória

Que se avivem memórias de Abril
E tenhamos a certeza que,
se a memória se perde,
pode muito bem voltar a acontecer
como se fosse a primeira vez.
Talvez não tudo
Mas um pouco, já seria tanto 

7 comentários:

Anónimo disse...

Não tenho memória de tal Liberdade!

De resto apenas posso concluir que a Umanidade sofre de seríssimos problemas de memória.

Porque posso concluir isto?

Ainda há uns tempos atrás destruímos o Iraque porque uns quantos terroristas, devidamente disfarçados de democratas republicanos, declaram nos Açores que era um dever destruir o Iraque e matar o seu ditador.
Hoje em dia assistimos ao mesmo... Temos uns terroristas - Trump, Macron e May - disfarçados de democratas republicanos, que são os mais recentes executores do plano para destruir a Síria.

Mas por cá, a memória também tens problemas graves!

Num ano votam nuns salafrários... uns anos depois votam noutros salafrários... anos passados votam nos primeiros salafrários... anos volvidos votam nos segundos salafrários!

Se há memorabilia democrática divertida é esta.

Pena que nunca marcaram actos eleitorais para o dia 25 de Abril, seria o Cravo em cima da Memorial Ilusão!

voza0db

Mar Arável disse...

Até ser dia

Maria João Brito de Sousa disse...

Que se festeje o momento que foi Abril, mas que não nos esqueçamos que nunca deixou de haver quem desesperadamente tentasse fechar as portas que Abril abriu, nem que elas estão mesmo a ficar quase, quase fechadas e que é tempo de nos renovarmos em luta e de nos reinventarmos para que se não fechem de vez!

O TAL VINTE E CINCO




Aos vinte e cinco foi dia

Quando era de madrugada

E nesse dia a alegria,

Toda a alegria que havia,

Explodiu quando libertada.




Aos vinte e cinco chorou-se

Pelo motivo contrário

Ao que o estado novo trouxe;

Aos vinte e cinco cantou-se,

Sonhou-se um poder operário!




Tantos mil, fomos vontade,

Que num grito, um grito só,

Saudámos a liberdade,

Todos em pé de igualdade

E a pisar o mesmo pó,




O pó de todas as ruas

Metro a metro percorridas

Por chaimites, por charruas...

E sonhei, ou vi faluas

Trocar mar por avenidas?




Aos vinte e cinco, sonhámos,

Aos vinte e cinco sentimos

O sabor do que criámos

E desse dia guardámos

O que hoje não permitimos.




Depois? Depois aprendemos,

Porque, pouquinho a pouquinho,

Percebemos que o que temos

São sobras do que fazemos,

Mas mais ninguém está sozinho,




Por isso é que sempre urgente

Lutar mais, com mais afinco,

Lutar, tendo bem presente

Que sempre há quem rosne à gente

Que fez o tal vinte e cinco!




Maria João Brito de Sousa – 23.04.2018 – 09.46h

Dispenso as palmas, mas não dispenso que a mensagem passe. É para isso, para fazer passar mensagens, que existe a Poesia.

Viva a Liberdade de todos os que em 74 foram libertados! Viva a liberdadezinha que me resta de ainda poder, por solidariedade alheia, comer qualquer coisa aos sábados, domingos e feriados!

Viva ABRIL!

Elvira Carvalho disse...

Gosto imenso deste poema.
Por muitos defeitos que a nossa democracia tenha, e tem-os ninguém duvida disso, estamos muito melhor do que no 24 de Abril. E só não acredita nisso quem não viveu nesse tempo. Eu vivi 27 anos no 24 de Abril e tenho memória viva desse tempo. A liberdade não tem preço.
Por isso mesmo, 25 de Abril sempre.
Abraço e bom feriado

Larissa Santos disse...

Brilhante publicação :))

Hoje, o tema é do nosso Poeta Gil, mas pela sua ausência, aqui estou eu:- Revolução - A criança, o cravo, a G-3 silenciada
.
Bjos
Votos de um bom feriado (Dia da liberdade)

Graça Sampaio disse...

Não queremos!!!
Temos medo!

Que se avivem pois as memórias
Que o que se viveu antes
com aqueles meliantes
não foram histórias!

Anónimo disse...

A Liberdade acaba quando a Ignorância prevalece sobre o Conhecimento e fica mais cómodo acreditar em Mentiras.
Como afirmei num comentário anterior, a Constituição estava na Lista e a Agenda está a ser executada, conforme o previsto, há décadas e décadas.

Pensa ser coincidência a Ditadura na Grécia ter acabado na mesma altura que a Ditadura em Portugal?
Foi apenas uma passagem programada, da Escravidão da Velha Ordem Mundial governada por vários, para a Escravidão da Nova Ordem Mundial governada por poucos.
Quer mesmo saber a Verdadeira Agenda ou vamos continuar com "paninhos quentes" até à conclusão da Agenda?

Quantas coisas vou ter que acertar com antecedência para podermos progredir e não sermos os últimos a saber do Programa que nos está destinado, seja qual for a política "Local"?
Como podem as pessoas combater aquilo que não sabem?

Tem havido redução de empregos, incluindo funcionários públicos, excepto médicos. Coincidência?
Até o SNS vai passar a ser "diferente" mas, para saber para onde vamos, há que começar pela História da Medicina. Tantos a trabalhar para espalhar conhecimento e, tanto desperdício quando não é aproveitado.
"Num tempo de engano universal, dizer a verdade é um acto revolucionário - George Orwell

Dentro em breve, nem Direito vamos ter a mandar no nosso próprio Corpo.
https://www.youtube.com/watch?v=X6J_7PvWoMw&t=635s
Rockefeller Medicine

Quando eu lhe disse que usam filmes e anúncios para programar mentes e, pouco a pouco, o Artificial passar a Natural, dizer no fim do anúncio que temos "uma televisão cada vez mais humana", mostrando isto?
https://www.youtube.com/watch?v=KITG8_jhFd8

Chama-se Condicionar Mentes, um processo que vai modificando pensamentos e comportamentos, sem que os próprios saibam que estão a ser condicionados, não só o caminho para o "transumanismo", onde o Natural será condenável, inferior e para erradicar mas, para atingir um determinado Objectivo, pré-programado.

"What luck for the rulers that men do not think" - Adolf Hitler

Tudo o que está a ser feito não é para o nosso Bem mas, para não "espernearmos" até à conclusão do programa e, como dizia um que pertence aos poucos da Nova Ordem Mundial e já traduzido para português:
"Neste momento, já temos a tecnologia para substituir Todos os postos de trabalho."

Isto já passou da Luta de Classes, para a própria sobrevivência dos Seres Humanos e, sejam meros funcionários públicos, professores, militares, polícias, advogados, juízes... incluindo políticos porque, se contam pelos dedos das mãos, aqueles que já têm prometida a sua sobrevivência nesta Nova Ordem Mundial.
Nesta fase de transição, vão dando uns anúncios com "famílias de Sophia's" para ir "entranhando sem se estranhar".

Acelerar é preciso, para aproveitarem outro ciclo Natural do Planeta Terra e, desta vez, os psicopatas criminosos poderem concluir, de vez, uma Agenda de séculos.
Até as meias verdades, não passam de Mentiras e quando o Presidente fala de seca no Sul da Europa, pena que não diga o resto mas, só pode dizer a parte que encaixa no "Aquecimento Global", outra mentira, no meio das Outras Todas.

"I've come to realize that the biggest problem anywhere in the World is that people's Perceptions of Reality are compulsively filtered through the screening mesh of what they want, and do not want, to be True." - Travis Walton

"A única coisa que irá redimir a humanidade é a cooperação."
"Assim que abandonamos nossa própria razão e nos contentamos em confiar na autoridade, não há fim para nossos problemas" - Bertrand Russell

"Avisem o Formigueiro que Vem aí Tamanduá" e, o mais interessante, muitos, até vão descobrir que, afinal e sem o saberem, eles sempre fizeram parte do formigueiro.
Mafalda