18 abril, 2018

Siria, outro bombardeamento, outras vítimas

«O conflito Sírio conheceu novos desenvolvimentos na última semana. A coligação ocidental formada pelos EUA, França e o Reino Unido, atacaram posições do regime controlado por Bashar Al-Assad. Este ataque surge como retaliação pelo uso de armas químicas contra a oposição rebelde em Ghouta oriental. O serviço Telenews registou um total de 124 notícias e 4 horas e meia de emissão sobre o tema»
Claro que, ao meu estílo, com este texto introduzo uma irónica analogia. O bombardeamento que refiro é com notícias. A negrito sublinho o tipo de arsenal usado. Quanto à intensidade de fogo, "de salientar a cobertura da RTP1 com 2 horas de emissão e 50 notícias emitidas".

As vitimas, os incautos telespetadores, desconhece-se  o balanço e o estado em que ficaram as cabeças. Já, como pode ler aqui, "O balanço militar do bombardeamento de 14 de Abril é surpreendente : 103 mísseis teriam sido disparados pelos Aliados. Teriam sido destruídos 71 em vôo pelo Exército Árabe Sírio. Um laboratório militar desocupado teria sido arrasado e instalações de dois aeródromos foram atingidas. Este dilúvio de fogo não teria causado mais que três feridos e não teria matado ninguém. Se Donald Trump, Emmanuel Macron e Theresa May queriam mostrar a sua força, acabaram sobretudo mostrando a sua impotência."
Enviar um comentário