05 maio, 2014

As palavras ainda não perderam o sentido...

«...O PCP reafirma que não há saída para os problemas nacionais nem possibilidades de um desenvolvimento soberano e independente ao serviço dos direitos e interesses dos trabalhadores e do povo sem a imediata renegociação de uma dívida insustentável, renunciando à sua parte ilegítima e impondo um serviço de divida compatível com o crescimento económico; sem a renúncia ao Tratado Orçamental e às suas imposições de expropriação de poder orçamental aos estados-membros e de fixação de objectivos para o défice ao sabor dos interesses das potências que hegemonizam a integração capitalista da União Europeia; sem a derrota deste governo, a sua demissão e a convocação de eleições; sem uma ruptura com a política de direita que há 37 anos ora por mão do PS ora pelo PSD, com ou sem CDS, arrastou Portugal para a actual situação; sem a concretização de uma política alternativa patriótica e de esquerda que recupere para o País o que é do País, devolva os salários e direitos roubados, afirme a soberania e a independência nacionais...» 
João Ferreira, cabeça de lista da CDU ao Parlamento Europeu