12 setembro, 2011

Em Braga, ninguém "delirou". Os discursos foram bem arrumadinhos, iguais e por isso previsíveis. Mal de mim, sonhando com impossíveis

"A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar"
Este post devo-o a Gisa, a uma sua amável prenda. Amável e oportuna. Galeano fala-nos do que ansiamos ouvir... Obrigado Gisa (ela é capaz de não saber o que se passou em Braga. Se me perguntar, dir-lhe-ei: Não se passou nada)

16 comentários:

  1. Caro Rogério
    "Sem sonhadores, não há sonhos"
    Obrigado por publicar esta pérola. Palavras que nos fazem bem à alma, a nós e aos nossos contrários.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Para que serve a Utopia?

    Para sermos Pessoas em vez de números; Para sermos Voz em vez de silêncio; Para sermos Pátria e vez de limite geográfico; Para sermos Paz em vez de guerra...

    ...mesmo que, para a alcançar, gastemos toda a eternidade.

    Um beijo especial por este momento de rara beleza, verdade e utopia.

    ResponderEliminar
  3. Nunca tinha ouvido esta versão do que é utopia, mas agradou-me muito!

    Claro que em Braga nada se passaria, só por milagre, rrss

    Boa semana.

    ResponderEliminar
  4. a utopia e algo que tentamos alcancar, e pelo caminho ate pode ser que cheguemos perto. O mau e deixar de tentat alcanca-la

    Bjinhos
    paula

    ResponderEliminar
  5. aqui no Campo Pequeno, a coisa foi sempre, sempre a delirar, não foi?

    :)))

    ResponderEliminar
  6. "La utopia serve para caminar" - lá em Braga foi apenas o princípio do caminho, não se pode pedir tudo de uma vez só!
    E o caminho faz-se caminhando...


    Boa semana!

    ResponderEliminar
  7. Caro Rogério
    Não conhecia!!! Obrigado.
    Vamos continuar a creditar, a esperãnça é a última a morrer.
    Beijo

    ResponderEliminar
  8. O mais irónico é que nós seres humanos fazemos um esforço enorme para não realizar o que nos é universalmente natural.

    ResponderEliminar
  9. É preciso que horizonte esteja onde estão os nossos olhos.
    È preciso construir a utopia.

    ResponderEliminar
  10. A utopia, antes desta definição, já assim a via...

    O "Direito ao Delírio", não sei se a maior parte os comentadores o ouviu. Caso não, não percam a ocasião...

    A Ariel, com a sua ironia e desvio de atenção, provocou-me a hesitação: se o documento estaria ou não lá. Confirmei e está. Uma Resolução Politica reafirmando a Utopia. Certamente outra que não aquela que foi metida na gaveta, de onde nem sequer espreita... Não estou em condições de impor nada, mas gostaria que essa Utopia fosse de lá tirada...

    Carol, não há nenhum indício de que tenha razão... Esperemos então.

    ResponderEliminar
  11. XVIII Congresso Socialista?
    É Rogério em tempos de internet nada é impossível.
    Fico feliz que , ao menos , do vídeo gostaste.
    Tinha certeza disso. Já te conheço um pouquinho.
    Um bj querido amigo

    ResponderEliminar
  12. Querida Gisa,
    A pergunta tem várias gafes. Vê-se que não percebe nada disto. Contudo, não se incomode. Nós por cá também não e cada um faz aquilo que pode...

    O video foi a melhor oferta que se pode receber. Pode crer.

    ResponderEliminar
  13. olá Rogério,

    caminhando com os olhos postos no horizonte, pois embora sentado a distância também se mantenha, não dá para esperar sentado, porque cansa e nada se faz pela mudança.

    kandandos... inté!

    ResponderEliminar
  14. Vir aqui, hoje, encheu-me a alma e deixou-me... "desarmada".

    L.B.

    ResponderEliminar
  15. Para ver e ouvir e... repetir, repetir, repetir...

    Muito bom, caro Rogério!

    ResponderEliminar