09 fevereiro, 2011

Palavras que desassossegam

A música portuguesa tem vindo a dar sintomas de... brisa. Uma aragem nova entra por todas janelas, desde que estejam abertas. A aragem é sentida por quem espera sons novos e novas palavras. Palavras que desassossegam e, por isso, palavras necessárias. Não serão só Os Deolinda que me fazem sentir eu aqui, mas foram eles que me fizeram entrar num "aceso" debate. Deles não há apenas uma canção a valer. Enquanto não tenho noticias do Fórum Social (Senegal) edito este post com parte de uma letra... e que letra...E também imagens...e que imagens. E sons... tão bons. Isto prova que temos obra:
Muda de nível,
sai do estado invisível,
põe o modo compatível,
com a minha condição,
que a tua vida,
é real e repetida,
dá-te mais que o impossível,
se me deres a tua mão.

Sai de casa e vem comigo para a rua,
vem, q'essa vida que tens,
por mais vidas que tu ganhes,
é a tua que,
mais perde se não vens.

Anda, mostra o que vales,
tu nesse jogo,
vales tão pouco,
troca de vício,
por outro novo,
que o desafio,
é corpo a corpo.

Escolhe a arma,
a estratégia que não falhe,
o lado forte da batalha,
põe no máximo o poder.

Dou-te a vantagem, tu com tudo, eu sem nada,
que mesmo assim, desarmada, vou-te ensinar a perder.
Letra "Um Contra o Outro" - Parte