10 dezembro, 2014

Caso BES


Contam-se por não sei quantos os convocados. Entre os que se vão sentar e os que irão ser referidos, serão muito mais que uma centena. Rostos que conhecíamos e outros que vamos conhecendo. A sala não tem o ar pesado dos interrogatórios e as caras, treinadas em iludir sentimentos, escondem corações e almas, que também são protegidos por hábeis falas. Por isso não os ficamos a conhecer melhor, apenas ficamos a poder ligar nomes aos fulanos a quem os nomes se reportam. Apenas os olhamos e sabemos todos os seus nomes. Apenas os olhamos.

6 comentários:

MARILENE disse...

Rogerio, li o desenrolar dos fatos que envolvem o BES, mas não tenho qualificação para tecer um comentário. Você sempre se posiciona com firmeza e propriedade sobre as questões que aborda. Por isso, passo para ler suas postagens, em silêncio. O maior erro do povo é permitir a continuidade do que está a prejudicar o país. Vivemos momentos complicados por aqui e sei que tem um posicionamento diverso do meu sobre os partidos políticos no Brasil (rss).

Majo disse...

~ ~ Zangaram-se os compadres, mas mão se descobrem as verdades. ~ ~

Majo disse...

~ Corrijo: ... não se descobrem ...

Mar Arável disse...

Pai é pai

padrinho é padrinho

Fê blue bird disse...

Apenas olhamos e nada fazemos e nada exigimos.

Assistimos a uma comédia ou a uma tragédia ?

beijinho

Olívia disse...


Como se a realidade "virasse" fita de cinema americano.

Bj.