22 dezembro, 2014

Contagem final: a dois dias deste Natal

«Sonhar de humana vida um mundo que não há». Os poetas não escolhem as palavras ao acaso, "sonhar" foi a escolhida, podia ter sido "mentira". Mas nesse caso o poema não seria este meu cartão de Natal, nem Jorge de Sena o poeta escolhido.
(poema tirado daqui)

7 comentários:

Maria Eu disse...

O que me dói é o facto de tantos não poderem, sequer, sonhar!

Beijinhos Natalícios, Rogério! Boas Festas! :)

ana disse...

Rogério,
Que belo cartão de Boas Festas!
Reparo na imagem do lado e não posso deixar de sorrir.
Caímos todos neste grande buraco.
Boas Festas e obrigada pelas suas passagens no meu canto.
:))

Janita disse...

"Natal de quê? De quem?
Saqueles que o não têm
ou dos que olhando ao longe
sonham de humana vida
um mundo que não há?"

Concordo tanto com Jorge de Sena, que tomei a liberdade de lhe repetir as palavras.

Sei que ambos vão compreender e desculpar.

Como vejo o Natal como a celebração do nascimento e festa da família; Feliz Natal, Rogério!

Beijo!

Afonso Jorge disse...

Boas Festas para si e toda a família.
Cumprimentos
Afonso Jorge

Afonso Jorge disse...

Boas Festas para si e toda a família.
Cumprimentos
Afonso Jorge

maceta disse...

apesar da realidade crua...
boas festas.

Graça Sampaio disse...

Gosto, gosto que me farto de Jorge de Sena!!

Bom Natal!