07 outubro, 2017

Eu, que ainda não falei da Catalunha, delego a palavra


A EVOLUÇÃO DOS ACONTECIMENTOS
Maldigo la poesía concebida como un lujo
cultural por los neutrales
que, lavándose las manos, se desentienden y evaden.
Maldigo la poesía de quien no toma partido hasta manchars
e”.
ler aqui no POLITEIA

4 comentários:

Lídia Borges disse...

Uma opinião reservada e ponderada. De facto, o problema parece não ter solução fácil. Mas gostei de ler. "A insustentável leveza do ser" puxa-me, perante a resposta "musculada" de Madrid. O diálogo, evidentemente. Mas... deixaram que se extremassem posições...

Lídia

Pata Negra disse...

Todos os povos têm direito à autodeterminação! Uma monarquia nunca pode ser uma democracia.
Um abraço independentemente

Graça Sampaio disse...

Muito belo o texto. Não gosto dos que não têm opinião, não toma partido, seja no que for! Ou sim ou sopas. Nada de meias tintas. E eu não concordo com a independência. Mas à porrada não vamos lá...

São disse...

Neste momento parece-me que já ninguém está sem asneirar no caso catalão...

Não me parece que a Catalunha ganhe com a independência, mas se for isso que a maioria pretende, têm esse direito.

Na minha opinião, que vale o que vale, a melhor solução será uma Federação.