02 outubro, 2017

As autárquicas e a razão do sucesso do PS


Como facilmente de percebe, Mário Centeno nunca terá dito isto. A imagem, montada, é uma metáfora que dá expressão ao que eu penso sobre a vitória do PS, sobre a tremenda derrota da direita e, também, sobre as significativas perdas da CDU. 
Explicando melhor, depois de Jerónimo há exatamente dois anos atrás ter aberto a porta à solução - "O PS só não forma Governo se não quiser" - Mário Centeno consegue o enorme feito de ser qualificado como "o Ronaldo do Ecofin" e ser chamado a dar as notícias de reposição de salários, pensões, descongelamento das carreiras. E, no mesmo dia em que se anunciam os resultados da vitória autárquica do PS, a imprensa anuncia a promulgação pelo Presidente da República do diploma que elimina os cortes nas reformas antecipadas das carreiras contributivas longas e põe em destaque Vieira da Silva.
O eleitorado, reconhecido, votou naqueles que a circunstância (e a imprensa) fez com que o PS capitalizasse todo o mérito pela inversão das políticas do anterior Governo.
Lamento a queda da CDU? Nem pensar. Lamentaria é se o Povo ainda se mantivesse sob o jugo da direita.
E quanto às câmaras perdidas, cito o que o cão diz ao cego: "a ver vamos!"


5 comentários:

Flor de Jasmim disse...

A maioria do PS não me surpreendeu, também ganhou aqui na Marinha Grande, sou militante do PS, mas não é do meu agrado a pessoa escolhida para presidente da minha cidade!
O que mais me surpreendeu foi a escolha feita pelo povo para o presidente de Oeiras.

Beijinho Rogério

Anónimo disse...

muito bem caro amigo,
é mesmo essa a posição a tomar, não lamentar a perda de autarquias, (até porque algumas são tradicionalmente oscilantes verdade?) espero que a CDU partilhe o seu ponto vista.

Não deixou de ser interessante ver como alguns comentadores tornaram esta questão e a sequente consequência na geringonça, desviando o foco da massiva derrota do PSD e alvitrando logo todo o tipo de desgraças para a governação.

Eu que á muito defendo uma geringonça fiquei satisfeito por ouvir Carvalho da Silva apresentar o que considero ser a melhor estratégia para os partidos da dita, uma estratégia vencedora e mais, uma estratégia que pode permitir que quando o tempo da ruptura chegar (que vai chegar obviamente) cada partido recupere o seu eleitorado.

Abraço.
HORIZONTE XXI

Elvira Carvalho disse...

Embora pense que a vitória do PS no Barreiro, teve muito a ver com as razões que cita, penso que se o presidente não tivesse chegado ao limite de mandatos talvez a Câmara não tivesse passado para o PS.
Bom vamos a ver o que o PS vai fazer nestes quatro anos.Se tiver uma prestação parecida com a de 2001, nas próximas eleições o povo vota em massa PCP como aconteceu em 2004.
Abraço e uma boa semana

Graça Sampaio disse...

As montagens estão de mais!! Bela imaginação, Rogerito!

(Isso aí em Oeiras - o meu concelho de nascença - é que foi um "bocado" para o vergonhoso, não acha? Enfim...)

Anónimo disse...

Deixo o meu abraço e partilho; a ver vamos!

Maria João