08 outubro, 2016

A TODOS OS PORTUGUESES


Seria da mais elementar injustiça não referir que se trata da primeira página de "A BOLA". Capa da passada quinta-feira. Não li o jornal, nem trago para esta página analogias entre o futebol e a política (e por vezes dava jeito). Venho ampliar o apelo: "Por favor, não falem dos outros". E aos que lhes custa abandonar o vício mexeriqueiro sugiro: não fale dos outros, limite-se a apontar o que eles fazem, ou deixam de fazer. É o caminho mais curto de fazer um juízo de si próprio, da sua família, do seu clube, do seu partido, do seu lugar, do seu emprego, da escola do seu filho ou do seu neto, da sua câmara municipal ou do seu governo. 
Personalizar a questão é fazer que ela perdure com outros nomes e depois dá-se conta que estará a dizer as mesmas coisas sobre pessoas diferentes. Concentre-se nas coisas e se achar necessário dar "os nomes aos bois" faça-o, mas só depois.