20 outubro, 2016

O desaparecimento de Rogério Pereira


Este título é uma treta, pois todos os interessados sabem por onde ando e sabendo onde estou saberão também o que faço. Mas aí reside um engano pois ninguém imagina que tenha despendido parte do dia a descobrir por onde o Mário Nogueira andaria. Isto a partir de um título provocatório de um "jornalista" que dava por certo «O desaparecimento de Mário Nogueira». Fui verificar se o homem mexe. E mexe. Voltei a pesquisar e voltei a confirmar que continua a mexer... 
Conclusões tiradas e nada precipitadas sobre o articulista:
  1. Não será sindicalizado, do que não virá daí mal ao mundo, nem é pecado
  2. Ao assinar como jornalista* não cumpre com §1 do Código Deontológico
E já agora, uma citação:
O jornalista pertence a uma espécie de casta de párias, que é sempre estimada pela ‘sociedade’ em termos de seu representante eticamente mais baixo. Daí as estranhas noções sobre o jornalista e seu trabalho. Nem todos compreendem que a realização jornalística exige pelo menos tanto ‘génio’ quanto a realização erudita, especialmente devido à necessidade de produzir imediatamente, e de ‘encomenda’, devido à necessidade de ser eficiente, na verdade, em condições de produção totalmente diferentes
(Max Weber, A política como vocação).
 Quanto a mim... quando regressar aviso

7 comentários:

Anabelina disse...

Nós os que te visitamos diariamente, sabemos que não desapareceste, embora fosse esse o desejo dele e outros que tais.
Saudações de uma amiga.
Anabelina

Anónimo disse...

... que tenhas uma boa e frutuosa estadia, Rogério!

Li o artigo - um tanto nauseada, confesso... - e subscrevo a citação de Max Weber, sublinhando a última frase;"... devido à necessidade de ser eficiente, na verdade, em condições de produção totalmente diferentes."

Sublinho-a porque também toca aos poetas, embora muito poucos se lembrem disso...

Abraço!


Maria João

Majo Dutra disse...

Deves ter ido a banhos curativos...
Diverte-te.
Bj ~~~~

Reporter disse...

O Rogério Pereira desapareceu ou apenas se ausentou temporariamente?
É diferente!

Ana Tapadas disse...

Acredita que nem me apetece comentar isto...estou tãooo cansada da visão social que se estabeleceu sobre a minha classe profissional e sobre os seus representantes diversos...

Beijo

Observador disse...

Meu caro, o Repórter sou eu. Não sei como, o comentário assumiu um nick name que já não uso há muito tempo.

Maria Eu disse...

Uns tristes, estes jornalistas!!
Já tu pareces muito bem! Até saí da minha reclusão para te vir dizer olá!

Beijinhos, Rogério :)