23 outubro, 2016

Parábola de Outono

Foto minha/Rio Vouga-São Pedro do Sul
«O rio que tudo arrasta, diz-se que é violento. 
Mas ninguém chama violentas às margens que o comprimem. 
"Bertolt Brecht"
 Parábola de Outono
Não se peça ao rio que esteja revolto
se seu caminho segue o curso certo
e se as margens se aquietaram
e se os tons verdes
se reflectem
em milhares de folhas
que não amarelecem
como se fossem esperança
Apesar de incerto Outono
não se peça ao rio que esteja revolto
Rogério Pereira