25 outubro, 2016

Voa Miguel, voa! (Na vida, há uma única oportunidade para se fazer 18 anos)


Miguel, tens a encabeçar a tua página, uma bela máxima assinada por Dali, que eu li. Li e corrigi. Não para te refrear aspirações, mas para te alertar que a ambição está mais associada a esperteza e que quer a ambição quer a esperteza não incluem qualquer sentido moral.
À inteligência sim. Aplica-a. Usa-a.
Voa Miguel, voa!
E parabéns, pelas asas que tens!

16 comentários:

  1. Voa, Miguel, voa
    até onde a tua
    inteligência e
    espírito solidário
    grandeza de alma
    e sentido de
    entre-ajuda
    te levarem.
    Escolhe os
    pensamentos do Avó
    aí tão perto de ti.
    O Dali?
    Ah, o Dali,
    perdeu-se por aí...;)

    Beijinhos de Parabéns.

    Que sintas a Maioridade na alma e no sentido de responsabilidade.

    ( sem qualquer conotação de moralidade da minha parte, of course! )

    Parabéns a toda a família Pereira.



    ResponderEliminar
  2. Muitos parabéns ao lindo jovem, a ti e a toda a família.
    Desejo muitas felicidades a todos.
    Abraço de congratulação.
    ~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  3. Já 18 anos?! Xi..... como o avô está velhote... :)))

    Muitos, muitos parabéns e muito bons vôos!!! Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Parabéns ao Miguel. Que a vida o deixe voar até onde ele sonha ir. Parabéns ao resto da família.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Voará
      quando tiver consciência
      da envergadura de asa
      que já tem

      Eliminar
  5. Parabéns ao Miguel, ao seu avô e à sua avó!:)

    Neste dia festivo, um forte abraço para toda a família!

    Maria João

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes o que me ocorreu?
      Oferecer-lhe um soneto teu?

      mesmo fora do aniversário
      quando menos esperar

      Eliminar
    2. Só eu sei o quanto vou sonhando em passar aos jovens o testemunho da poesia melódica, Rogério... :)

      Oferece-lhe o que tu entenderes, mas... ao ler esta tua pergunta, ocorreu-me logo este, que escrevi ontem... (este "velho" cedro é, afinal, uma jovem árvore, atendendo ao "tempo das árvores"...

      BALADA PARA UM "VELHO" CEDRO

      BALADA PARA UM VELHO CEDRO

      Eu sonho um cedro que me embale o sono;
      Subitamente o sonho -imenso, austero... -
      Ver, da janela de onde sempre o espero,
      Rasgando o solo e, como eu sou, sem dono...

      Um cedro que adoçasse este abandono,
      Que não vergasse, sólido, sincero,
      Que me escutasse sempre que me esmero
      Em descrevê-lo, enquanto assim ficciono...

      Somo silêncios sobre o velho cedro,
      Mas se me sobra sonho, o cedro vem,
      Subindo sempre, se o sonhei sem medo,

      E, deste sonho, surgem-me outros cem,
      Como se eu própria ousasse ser segredo
      Da sementeira que lhes fez de mãe...


      Maria João Brito de Sousa - 27.10.2016 - 16.19h


      Eliminar
  6. Sem asas, nada feito! Isso mesmo.

    Parabéns por ontem, por hoje, por amanhã...

    Lídia

    ResponderEliminar
  7. O Miguel não podia ter melhor prenda de aniversário.
    Que ele saiba sempre aproveitar as asas e os voos com sabedoria e inteligência.

    Parabéns, muitos parabéns!

    Como eu gosto destas coisas belas!

    Beijinhos




    ResponderEliminar
  8. 18 - Idade dos sonhos e dos voos.
    Nem é preciso o avô mandar o Miguel voar. A seu tempo ele abrirá as asas e tomará o seu lugar na vida e voará os seus sonhos.

    ResponderEliminar